Chance de reabilitação em clássico

BEM MARCADO no sábado, BMG/Montes Claros vem de derrota em casa para o Cimed; adversário de hoje é o Minas

EM NOVA
edição de um dos principais clássicos do vôlei mineiro, o BMG/Montes Claros sai em busca da reabilitação na Superliga Nacional 2011/12 nesta terça-feira, às 18h30, contra o Vivo/Minas, na Are
na JK (BH), pela quarta rodada do turno. O time que havia vencido seus dois primeiros compromissos diante do RJX e do Medley/Campinas, vem de sua primeira derrota na competição.

NOS ÚLTIMOS 10 clássicos entre BMG/Montes Claros e Vivo/Minas, o clube de BH venceu seis. Nas últimas três fases eliminatórias, sendo dois Mineiros e uma quartas-de-final de Superliga, o Minas levou a melhor em todas.

MAS PARA a torcida do Esquilão vale o retrospecto: no histórico de duelos desde 2009, quando o time do Norte de Minas foi fundado, o Montes Claros leva a melhor com 10 vitórias contra 8.

DERROTA "CEDO DEMAIS"

NO SÁBADO, mesmo diante de quase 3,9 mil pessoas no Poliesportivo Tancredo Neves, o Cimed/Sky venceu o Esquilão por 3 a 0, parciais de 25/18, 26/24 e 26/24, em 1h42’. O argentino Pereyra conseguiu ser o maior pontuador em quadra com 14 ataques e 3 saques e segue como o primeiro colocado no ranking de pontos entre os atletas dos 12 times da competição.

O CIMED veio a Montes Claros ciente de como anularia os pontos fortes do Montes Claros. Com o saque forçado, conseguiu quebrar a maioria dos passes do líbero Fábio e do ponteiro Léo Caldeira. Isso facilitou bastante o trabalho dos homens de rede, que foi fundamental para decidir o jogo a seu favor. “É um time muito afinado, que teve uma rede muito eficiente”, disse o técnico do Esquilão, Jorge Schmidt (foto ao lado).

À VENETA, ele disse que não esperava pela derrota já na terceira rodada, ainda mais em casa. “Perdemos cedo demais até pelo o meu time tinha rendido até agora, mas estamos cientes de que há chances de reverter e buscar a compensação. É apenas o início e eles também vão tropeçar em algum momento”.

VEIO, VIU E VENCEU

JÁ MARCOS Pacheco, que entre as funções de atleta e auxiliar trabalhou com Schmidt por 18 anos confessou qual foi a receita para um jogo tão eficiente como esse de sábado, ao ponto de o seu time não errar um saque sequer no primeiro set. “Estudamos muito o time do Montes Claros e conseguimos neutralizar seus pontos mais fortes”, disse o técnico visitante. Na sua avaliação, o time montes-clarense tem como característica força e explosão e “se tivéssemos dado qualquer brecha, o resultado não teria sido este”.

O LEVANTADOR Bruninho, titular da seleção brasileira, disse que nos últimos dias o Montes Claros “foi o dever de casa do Cimed na manhã, tarde e noite”. A comissão técnica preparou um material com vídeos e estatísticas com jogos do Mineiro e das duas primeiras partidas do Montes Claros pela Superliga. - FOTOS: Fredson Souza (divulgação Funadem)
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: