Funorte também derruba o Cruzeiro e lidera Júnior

NEM A ATUAÇÃO complicada do árbitro compromete mais uma vitória do time norte-mineiro

NÃO HÁ
como negar que o Funorte é candidato direto ao título do Mineiro Júnior. Em quatro dias, o time conseguiu derrubar nada menos os dois mais tradicionais clubes do Estado nesse início de hexagonal final. Anteontem, no feriado pela padroeira do Brasil, fez um a zero sobre o Cruzeiro, no estádio José Maria Melo, que recebeu pouco mais de 650 pessoas. O gol foi d
o meia atacante Esquerdinha, aos 3 minutos do segundo tempo, em uma cobrança de falta.

NO SÁBADO, o time havia vencido o Atlético, na Cidade do Galo, por 3 a 1. Lidera a fase de forma isolada com seis pontos, quatro a mais que o Itaúna, que venceu o Tupi, em casa, por 3 a 1. Já na Arena do Jacaré, o América fez um a zero sobre o Galo. Amanhã, o compromisso do Funorte será em Juiz de Fora, contra o Tupi. A delegação seguiu viagem na noite de ontem.

A VANTAGEM na quarta-feira poderia ter sido maior senão fosse o preciosismo do atacante
Wilson Júnior ao prender a bola em duas oportunidades quando poderia ter lançado o companheiro Sávio, que estava sem marcação dentro da área. Além disso, o herói da tarde acertou o travessão ainda na etapa inicial. Minutos antes de ser substituído, Esquerdinha também exigiu uma defesa à queima-roupa do goleiro celeste Igor.

“CONFUNDI O GOLEIRO”

SOBRE O lance do gol, ele disse ao JN que procurou confundir o adversário. “Como foi o Léo quem ajeitou a bola, o pessoal do Cruzeiro achou que ele bateria a falta. Mas quando o juiz apitou, fui mais rápido e chutei entre a barreira e a trave”, narrou o meia. Dois de seus companheiros ajudaram a atrapalhar a visão do goleiro na barreira.

COM MAIOR posse de bola e mais objetivo em campo, enquanto o Cruzeiro insistia em lançamentos, por muito pouco o Funorte não teve sua vitória comprometida pela desastrosa atuação do árbitro Roney Cândido Alves.

MOSTRANDO MUITO nervosismo e falta de paciência até mesmo com fotógrafos à beira do campo (um deles foi expulso no intervalo por simplesmente ter feito esta foto aí ao lado, do trio sendo escoltado pela PM), além da inversão de faltas e do excesso de cartões ele implicou com os integrantes do banco do Funorte. Prometeu citar na súmula o preparador de goleiros e o roupeiro, mas não citar os motivos. O massagista Sombra foi expulso.


FUNORTE – Manu; Fayllon, Altamiro, Marcus Vinícius e Dinei; Miranda (Mauro), Felipe, Esquerdinha (Gabriel), Léo (Juninho); Sávio (Fernando) e Wilson Júnior. CRUZEIRO – Igor; Gil Bahia, Murilo, Wesley e Vinícius; Lucas, Mayke (Emerson), Alisson e Fabrício; João Paulo (Léo) e Antonio (Vitor).

Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: