Repatriado após cinco anos, ponteiro destaca grupo forte

UMA DAS apostas do clube para esta temporada está nos jogadores repatriados, como Ricardo Serafim, de 31 anos, vindo do Sarmiento (Argentina). Depois de cinco anos fora do país, já que também passou por times da Grécia e Turquia, o ponteiro vê no Montes Claros a oportunidade de reaparecer bem no voleibol brasileiro.

“ESTOU EM um grupo competitivo. Muita gente com o perfil técnico que alia força e técnica e extremamente confiante em realizar um bom trabalho”, disse o jogador, que tem como característica marcante o saque forçado e o bom aproveitamento nos ataques.

NA LIGA Argentina 2010/2011, coma camisa vermelha do Sarmiento Santana Têxtiles (quarto finalista) em 98 sets disputados, ele foi o quarto maior sacador com 47 aces e o 17º maior pontuador (291 pontos).

AINDA NA BASE

DO ATUAL
grupo, Serafim trabalhou com vários jogadores, como Tiago Salsa, e com o próprio técnico Manu Arnaut, nas categorias de base do Palmeiras. Ainda no país vizinho, o paulista Serafim teve como adver
sário o oposto Federico Pereyra, também contratado pelo BMG/Montes Claros e que atuava pelo Drean Bolívar.

SOBRE PEREIRA


INDAGADO PELA VENETA
sobre o agora companheiro de clube, ele reconheceu que o oposto vive hoje sua melhor fase física e técnica. “Posso dizer sem exagero que o Pereyra está voando”, resumiu, utilizando uma gíria bastante comum no voleibol quando se quer dizer que o atleta tem um aproveitamento acima da média.
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: