BMG/Montes Claros confirma mais um levantador: Rafinha

CLUBE AINDA busca comandante para o lugar de Talmo de Oliveira; chegou a tentar Gustavão e Marc Honoré, mas tem 80% do novo grupo de atletas já definido

APÓS UMA semana sem novidades, a diretoria do BMG/Montes Claros anunciou no início da noite desta sexta-feira, a contratação do levantador Rafinha, de 35 anos, que disputou a última Superliga Nacional de Vôlei pelo Vivo/Minas. Ele chega para ser a sombra do também experiente RÍvoli, de 34 anos, ex-Sogipa, anunciado há dez dias e que será o titular do novo time do Pequi Atômico.

NAS QUARTAS-DE-final da competição passada, Rafinha atuou no 2º e no 4º set da vitória do seu ex-time sobre o Esquilão, por 3 sets a dois, resultado que garantiu a classificação do clube da Capital para as semifinais. Houve ainda mais três jogos entre os rivais. Em dois, ele não entrou em quadra. No returno da primeira fase, jogou apenas uma parte do primeiro set diante do Montes Claros.

O JOGADOR PREFERIU não mostrar um cartão de visitas. No primeiro comentário já como jogador do Montes Claros junto à assessoria de imprensa do clube, destacou o fator torcida. “Tudo aqui é empolgante e sei que os torcedores jogam junto com a torcida”, analisou o levantador.

MAIS NOMES PELO MENOS nesta posição, o clube parece ter fechado o ciclo de contratações, mas o planejamento é de buscar pelo menos mais três nomes para fechamento do elenco: um oposto, um ponteiro e um central. Leandrão e Alberto, que fizeram parte do último grupo, estariam em mãos com propostas de renovação, mas nada de oficial foi comentado nas últimas horas.

OFICIALMENTE, estão confirmados o argentino Federico Pereyra (foto acima), contratado junto ao Drean Bolívar, de seu país, e que atualmente está disputando a Liga Mundial; o central Silêncio, os ponteiros Léo Caldeira, William Reffatti e Ricardo Serafim e o líbero Jairzinho. Renovaram os contratos o central Thiago Salsa e o ponteiro Denisson.

CONFORME APUROU a VENETA, o clube tentou a contratação do central Gustavão (foto ao lado), do Medley/Campinas, mas a renovação com o clube de origem impediu a sua vinda para o Norte de Minas. Outro nome que interessava ao Esquilão era o do central Marc Honoré, do Londrina. Nascido em Trinidad e Tobago, ele seria mais um estrangeiro no clube, o que é proibido pelo regulamento da CBV. O limite é de apenas um atleta nascido fora do País por equipe.

E O COMANDO?

A MAIOR INCÓGNITA, no entanto, gira em torno do nome do novo comandante do Montes Claros para a temporada 2011/2012. Com a negativa de Marcelo Ramos, ex-auxiliar técnico do Sada/Cruzeiro na época de Talmo Oliveira, o clube passou a investir no mercado paulista. Mauro Grasso, ex-Minas e que estava no Pinheiros na temporada anterior, ainda parece ser o primeiro nome da lista. Seu empresário recebeu a proposta oficial do clube, mas ainda não respondeu.

CARLOS ALBERTO
Castanheira, o Cebola, e dois estrangeiros, um argentino e um italiano, cujos nomes não foram divulgados, seriam as opções seguintes.
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

2 comentários:

Paulo Henrique disse...

O Volei Futuro tinha dois estrangeiros no elenco (Iznaga e Camejo). Essa limitação de estrangeiros é uma mudança pra essa temporada?

Christiano Jilvan disse...

Isso... A mudança é a partir desta temporada. Apenas um estrangeiro por clube. Na Superliga Feminina, os times poderão buscar até duas estrangeiras! Ok?