O primeiro ano do FM e o exemplo de Marcelino, do Galo

O SITE www.futeboldeminas.com.br – do qual faço parte desde as primeiras postagens – completou um ano de existência nessa quinta-feira já como referência para a grande imprensa sobre o que acontece em praticamente todos os clubes profissionais de Minas. É bom demais pautar a grande mídia, mesmo que os créditos não sejam dados à nossa fonte. O mais “legal” do FM, utilizando a linguagem do lado moleque que todo mundo tem, é a incorporação do espírito voluntário de todos os seus cronistas. Todos escrevem aqui por prazer. Parabéns e vida longa.

MARCELINO DO GALO

A GALOPÉDIA, UMA espécie de enciclopédia digital sobre o Atlético, dedica uma página à biografia de Marcelino Paz do Nascimento (in memoriam), patrono geral do Troféu Bola Cheia Unimontes. Lateral-esquerdo baiano de Carinhanha, mas radicado em Montes Claros desde a infância, fez 239 jogos com a camisa alvinegra e marcou apenas um gol entre 60 e 66.

VERMELHO NEM PENSAR

A ESTREIA FOI na vitória contra o Tupi, em dois de abril de 1960. Já em 17 de fevereiro de 66, se despediria do clube no empate diante do Uberaba. Foram 121 vitórias nesse currículo, com dois títulos mineiros (62/63). Antes de vestir a camisa do Atlético passou pelo Cassimiro de Abreu e Flamengo/RJ. Embora tenha uma ficha de destaque no Galo, o maior destaque na avaliação da Galopédia está em letras garrafais: “nunca foi expulso pelo Galo”.
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: