Cento e noventa mil argumentos

CLUBE CARREGA os recordes de público em duas superligas seguidas

EMBORA ESTEJA em uma cidade distante dos grandes centros ainda com problemas de logística como hotéis, números de vôos e estrutura de treinamento, o Pequi Atômico desperta o interesse de milhares de admiradores do voleibol brasileiro. Também pudera, nos últimos dois anos, o time não teve um concorrente à altura no quesito torcida.

NAS SUPERLIGAS 2009/2010 e 2010/2011, o time reuniu cerca de 190 mil pessoas em todos os seus 32 jogos como mandante, média de 5,93 mil por partida. Aliás, esse é um dos argumentos que o clube tem utilizado para convencer aos atuais e novos investidores.

PRODUTORA cultural no Rio de Janeiro e “fanática” por vôlei como ela mesma gosta de dizer, Wanessa Ramos disse à VENETA que “ainda tenta entender uma equipe estar entre as melhores do país e correr o risco de perder o patrocínio assim. Por que as empresas não têm a consciência de que o patrocínio é o maior retorno deles?”, indaga.

ATÉ O SALSA FALA

A TORCIDA TENTA
fazer sua parte. A torcida tenta fazer sua parte. Na comunidade “BMG Montes Claros”, no Orkut, o tópico “Patrocínio e Apoio Já” segue a mesma linha. Idealizadora, Anna Karla Durães fala que “o exemplo de fidelidade dos torcedores deveria ser seguido pelas empresas”. O curioso é que o central Thiago Salsa, titular do time do Montes Claros em suas duas temporadas de existência faz coro à campanha e até comentou sobre o fato: "espero que esses pedidos sejam entendidos", resumiu o jogador, também sem contrato desde o dia 30 de abril.


EM SEU BLOG, a Orkutorcida MOC assina um manifesto e cita praticamente todas as grandes empresas com sede na cidade para que tenham atenção ao potencial de marketing que o time de vôlei oferece. Como argumento, utilizam vídeos do ginásio lotado e depoimentos dos ex-jogadores sobre o que a torcida representa.

“O MONTES CLAROS é um ótimo investimento para qualquer empresa. O que para os patrocinadores representa apenas uma forma de lucro e expansão de negócios, a nós torcedores expressa a continuação de um sonho e de uma paixão comum”, desabafam em nota.
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

1 comentários:

gleisson disse...

MUITO BEM CRISTIANO, ESTAMOS AGUARDANDO ANCIOSOS E TORCENDO MUITO PRA QUE NOSSO ESKILÃO ESTEJA NOVAMENTE NA BRIGA PELO TITULO DA SUPER LIGA.