Lanterna não é mais com o Funorte

CLUBE VENCE pela 1ª vez na elite, sai da Z-2 e ganha tranquilidade para as três rodadas restantes

ENFIM, A primeira vitória na elite do futebol mineiro. Ao vencer o Tupi, sábado à tarde, por um a zero, no estádio José Maria Melo, pela oitava rodada do Campeonato Mineiro, o Funorte reassumiu a 10ª posição na classificação geral e deixou a zona de rebaixamento. Tem cinco pontos, um a mais do que Democrata/GV e Ipatinga, os novos ocupantes da Z-2. Agora, terá maior tranqüilidade para a seqüência da competição, a começar pelo sábado (2), diante do Zebu, em Uberaba.


O GOL FOI MARCADO pelo atacante Dandão após cobrança de pênalti cometido por Fabrício Soares sobre Anderson Toto, aos 21’ do 1º tempo. O defensor do Tupi foi expulso no lance. A vantagem numérica garantiu ao Funorte mais espaço, mas não tranqüilidade para liquidar o jogo. Aos 3’ do segundo tempo, aquele que foi determinante para o gol do FEC e era considerado o melhor em campo também saiu. Ao cometer uma falta por trás sobre Ramon, Toto também recebeu o cartão vermelho. Ele foi escalado no sacrifício após constatada uma fissura no punho direito.


AS CONSEQÜÊNCIAS desse primeiro sucesso podem ser consideradas como façanhas, levando-se em conta a má fase que o clube vivia até então. Com os três pontos, deixou a zona de rebaixamento (beneficiado também pela combinação de resultados da rodada). Além disso, pôs fim ao jejum de vitórias como mandante, que já durava desde abril de 2010, superou o time de Juiz de Fora pela primeira vez na história e passou a depender somente dos próprios resultados nas três rodadas restantes para evitar a queda para o Módulo II do ano que vem.


“FOI PELO RESULTADO”


INDAGADO SOBRE o excesso de erros de finalizações, já que seu time teve pelo menos cinco chances claras de ampliar o marcador, o técnico Luiz Eduardo foi enfático ao afirmar que jogou pelo resultado. “O momento é de vencer e o placar é o que menos importa”. O treinador enxerga a chance de permanência na 1ª Divisão de 2012 com o mesmo glamour de uma classificação de final.


“CUMPRIMOS A primeira das metas na luta contra o rebaixamento. Tenho que destacar muito a força do meu grupo, porque superamos problemas dentro e fora de campo”, acrescentou o técnico, mas sem entrar no mérito desses contratempos vividos pelo clube. A ANÁLISE DO capitão Wellington Paulo foi bem parecida. “Com um jogador a mais era obrigação ter a maior posse de bola, mas isso não aconteceu. O mais importante foi a vitória e os efeitos dela para uma semana tranqüila de trabalho à espera do Uberaba”, disse o zagueiro.


INDAGADO SOBRE a necessidade de readequação física e técnica depois de 4 meses parado e com o campeonato em andamento, Wellington Paulo emendou: “se não acreditasse em algum tipo de reação nem estaria aqui em Montes Claros. Funorte sairá dessa situação pela qualidade que o seu grupo tem, mas precisará rever muita coisa em sua estrutura e organização”, completou o experiente zagueiro. - fotos: Heberh Halley
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

2 comentários:

bradradio.blogspot.com disse...

Se conseguir se manter na Serie A,espero que essa estrutura GERAL,mude no Time.

Anônimo disse...

Boa tarde! christiano..
tem muita coisa pra ser mudado no fec, a estrutura dos alojamentos entao, nem se fala,falta ate agua para os jogadores beber, imagina a alimentaçao dos atletas, ficam separando , o profissional é um tipo de alemento,os juniores outro tipo, inferior é claro, coisa pela qual é errado pois sao todos sere humanos, deveriam ser tratados com igualdade...
vamos lá fec melhorias pro pessoal ai uai...
por favor christiano publica esse desabafo, quem sabe as coisas mudam por la.
muito obrigada de coraçao....