Funorte: cada dia um campo; abadás e a volta de Ditinho (à URT)

PEREGRINO

SEM UMA OPÇÃO
fixa de campo, o Funorte faz uma verdadeira peregrinação para dar conta de sua agenda de treinos. Em menos de vinte dias, desde a sua volta para Montes Claros depois da pré-temporada em Janaúba, o elenco profissional já trabalhou em quatro lugares diferentes. Depois do próprio Estádio José Maria Melo, CT do Distrito Industrial (foto ao lado), Campus da faculdade no bairro JK e do estádio Rubens Durães Peres, cedido pela Liga, amanhã será a vez de o clube trabalhar no gramado do BNB Clube. (Foto: Heberth Halley)

ACORDO DE CAVALHEIROS

A LIGA DE
futebol resolveu ceder seu estádio (Rubens Durães Peres) para os treinos do Funorte, mas sem ônus ao clube. Trata-se de uma política de cavalheiros já que, quando solicitado para as competições locais, o Centro de Treinamentos do Formigão atende aos times amadores e de base do Grande Santos Reis para seus mandos de campo, também sem cobrança de taxas. Porém, como tem as mínimas dimensões exigidas, deverá ser usado apenas em situações de grande necessidade.

ABADÁS

CADA UM SE
vira como pode e para que o caixa dê conta de bancar a folha salarial, os times do interior de Minas abriram mão da estética de seus uniformes. Caldense e Funorte, por exemplo, tiveram suas camisas apelidadas de abadás baianos diante da quantidade de pequenas propagandas. Mas antes de roupa feia em campo do que dever ao final do mês. (foto: Léo Pontes/O Tempo)

DE VOLTA AO LAR

JOGADOR
com o maior número de gols nos quase quatro anos de existência do Funorte, o veterano atacante Ditinho reapareceu depois de praticamente um ano parado. Aos 39 anos, é um dos nomes da URT, clube que o projetou no futebol mineiro e pelo qual foi artilheiro e campeão em duas oportunidades da Taça Minas Gerais. Estreia no Módulo II justamente no clássico doméstico contra o Mamoré, neste domingo. (foto: Patos Hoje)

19 GOLS

COM A CAMISA
tricolor, Ditinho fez 19 gols, sendo sete na Segunda Divisão Mineira de 2007, um na mesma competição de 2008 e onze no Módulo II de 2009, inclusive dois na vitória sobre a própria URT por 4 a 1, no estádio José Maria Melo. No ano passado, diante de problemas familiares, ele voltou ao interior de São Paulo, onde reside sua família e acabou sendo dispensado pelo Funorte logo nos primeiros meses. (Foto: Rubem Ribeiro)
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: