Talmo de Oliveira: “jogo só fica fácil quando acaba e a gente vence”

TÉCNICO ANALISA vitória sobre o Minas e descarta revanche

O Cruzeiro vem à cidade em uma fase diferente à do Minas. Está invicto há seis rodadas e brigando diretamente pelas primeiras colocações. Além disso, é o maior rival da história do Montes Claros...
TALMO – “O próximo jogo sempre será o mais difícil e a própria Superliga vem mostrando isso, principalmente em se tratando de um confronto direto. Agora, depois de vencer o Minas em uma partida praticamente impecável é mais fácil dizer que o jogo “foi fácil”, mas a gente sempre vai esperar grandes obstáculos a cada rodada, assim como foi diante do Sogipa, de virada, em Porto Alegre. Os detalhes fizeram a diferença”.

A torcida e a imprensa, de uma certa forma, acham que o saque bom é aquele que termina em ponto direto, mas muitas das vezes a importância dele está na quebra da recepção adversária. Nesse aspecto, o Montes Claros conseguiu “bagunçar” a vida do Minas. Sei que é isso mesmo que você quer e até então não havia funcionado tão bem na Superliga?
TALMO – “A gente vem treinando para que as coisas funcionem desta maneira e a seqüência de jogos vem dando o ritmo que a equipe precisa. Junto a isso, os jogos fortes [contra equipes cotadas para a briga direta pelo título, como o Vôlei Futuro e o próprio Minas] que tivemos nas últimas semanas ajudaram o time a crescer tecnicamente. O saque é fundamental; é importante, mas não só para o ponto. Taticamente tem o peso de exigir mais de uma peça do outro lado; induzir ou provocar o erro do adversário”.

O Minas abusou dos saques em cima do Manius acreditando no erro dele, mas ele teve apenas duas falhas...
TALMO – “Ele tem uma qualidade muito grande de passe e recepção, a começar pelo alto volume de jogo até aqui na Superliga. O que tentaram foi, de alguma forma, tirar a nossa rede de ataque. De fato, em alguns momentos eles conseguiram isso, mas a gente equilibrou bem, procurando variações e com tranqüilidade para dominar e fechar o três a zero”.

A vitória incontestável sobre o Minas teve um sabor especial como um troco pela derrota que o Montes Claros sofreu nas semifinais do Campeonato Mineiro deste ano?
TALMO – “Foi extremamente importante, mas não penso assim! Há muita diferença de momento entre as duas competições”.
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: