Locais passam a ter direito ao JMM após reforma

ENTRE RECURSOS propriamente ditos, material humano e insumos, a prefeitura está assumindo grande parte dos custos da reforma do Estádio José Maria Melo – algo próximo a R$ 300 mil – para atender as exigências aplicadas ao Funorte na Primeira Divisão. Em troca, terá direito a uma agenda quase livre no campo do Cassimiro de Abreu a partir de 2011.

SENDO MAIS ESPECÍFICO: as competições apoiadas pelo município, entre as quais o Amador, Rural, Júnior, Juvenil, Copa Minas Brasil e possivelmente Varziano de volta, passariam a ter acesso ao estádio do bairro Todos os Santos nas suas fases decisivas, sem ônus para a Prefeitura. Pesaria, mesmo, somente as despesas de uma eventual partida noturna, com os custos do uso do sistema de iluminação – por meio de taxa.

O ESTÁDIO JMM (abreviação inevitável para atender aos títulos e subtítulos nos impressos e sites) já virou canteiro de obra, a começar pela nova roupagem do gramado. Com o tempo de recuperação mais curto do que o previsto, tendo em vista da possibilidade de a estreia do Funorte na Elite acontecer em casa, no dia 30 de janeiro, a empresa contratada, Funorte, Cassimiro e Prefeitura chegaram à conclusão de que a reforma do campo atual será mais viável no momento do que a recolocação de um novo gramado. Isso exigiria pelo menos 60 dias de trabalho sem interrupções, o que seria impossível no período chuvoso no qual já estamos.
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: