Quatro voltam; um sai; estádio liberado só com planta

NA SOMBRA DA matemática para tentar chegar às semifinais da Taça Minas Gerais, desde que vença os três jogos restantes até o término da fase de classificação, o lanterna Funorte ganha várias opções para tentar esta reação, a partir deste domingo, às 15h30, contra o Tricordiano, no estádio Júlio Aguiar, de Patrocínio. O árbitro será Carlos Inácio Vítor, auxiliado por Wesley Inácio Vítor e Douglas Almeida Costa.

QUATRO JOGADORES considerados titulares voltam de suspensão e já fazem parte dos planos do técnico Erivelto Martins: os meias Marcelino, Andrezinho, Anderson Toto e o atacante Andrade. Eles estiveram ausentes na derrota para o Villa Nova, sábado passado. Pela experiência de todos, é bem provável que comecem jogando diante do Tricordiano, na busca pela primeira vitória na competição.

POR OUTRO LADO, uma baixa é praticamente certa: o zagueiro Alex levou uma pancada no coletivo dessa quarta-feira, no Estádio José Maria Melo, e está praticamente vetado. O grupo fez um trabalho tático na tarde de ontem e hoje faz um recreativo, ambos no Centro de Treinamento do Distrito Industrial. A viagem para Patrocínio acontecerá neste sábado, às 7 horas. São 481 quilômetros de distância.

SEGUNDO O DIRETOR de futebol Odair D’arc Borges, com exceção de Alex, todos os demais jogadores do grupo estão nos planos para depois de amanhã. Os seis jogadores que chegaram a ser afastados para melhor condicionamento físico foram reincorporados. Em Nova Lima, apenas Diogo e Marcones receberam o cartão amarelo, o primeiro de cada um.

PELA SEGUNDA VEZ seguida, o Funorte será obrigado a jogar longe de casa mesmo na condição de mandante, pois o estádio José Maria Melo segue vetado pela FMF e pelo Ministério Público por falta de um laudo completo do CREA/MG. A própria Federação escolheu o campo que a Patrocinense vem usando no Mineiro da Segunda Divisão como “casa” temporária do Formigão.

CURIOSAMENTE, OUTROS sete estádios na mesma condição, que foram proibidos de receber jogos pela Federação e pelo MP há cerca de um mês, entre os quais o Parque do Sabiá (Uberlândia), Juca Pedro (Formiga) e Bernardo Rubinger Queiroz (Patos de Minas), dentre outros, já tiveram suas situações normalizadas.

CONFORME Odair Borges, a situação do Estádio José Maria Melo é diferente das demais, tendo em vista que o local não apresenta as plantas de construção, o que é exigido pelo CREA em seu relatório. “Tudo está sendo feito do zero”, disse, ao garantir que o Funorte está providenciando novas plantas para ver se consegue mandar seu último jogo da primeira fase da Taça Minas Gerais, contra o Uberaba, em Montes Claros.
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: