Henrique acha explicações e justifica provocação à galera

AINDA QUE A rivalidade, facilmente percebida nas constantes provocações entre os jogadores, tenha sido uma das tônicas do jogo, o Vivo/Minas não equilibrou as forças, talvez prejudicado pela ausência de seus três jogadores que estão servindo as seleções principal e juvenil, em especial o levantador Marlon. Pelo menos foi essa a leitura do ponteiro Henrique, que em vários momentos discutiu com a arbitragem, foi hostilizado pela torcida e também provocou.
"O NOSSO TIME ainda não se encontrou por uma série de fatores. O grupo ainda não está completo e fica complicado variar o estilo de jogo dentro de uma partida, enquanto que, o Montes Claros e o Cruzeiro já têm em mãos o mesmo grupo da Superliga", analisou o jogador.
ELE JUSTIFICOU sua atitude com a torcida como uma maneira de chamar a atenção. "Sempre fui mais enérgico e, de uma certa forma, queria que o nosso time se sentisse provocado para reagir; estávamos no terceiro set e já perdendo por dois a zero. Foi uma coisa proposital porque sei que a torcida aqui joga com o time o tempo todo, mas sei também que é algo de momento".
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: