Ateneu + Funorte: faltam poucas arestas

DIRETORIA E CONSELHO já concordaram e resta apenas jurídico do Broca avalizar acordo para a cessão do João Rebello

PRETO NO BRANCO

O DETALHAMENTO JURÍDICO, ou como se diz na gíria "o preto no branco", parece ser a última pendência para que o convênio entre Funorte e Ateneu seja finalizado e defina, assim, o estádio João Rebello como a nova casa do Funorte, já com vistas à sua primeira temporada na elite de Minas Gerais, ano que vem. Hoje, a diretoria atenense falou a respeito da futura parceria e garantiu que "tudo está fluindo muito bem", mas a demora em oficializar as negociações é necessária porque o "aspecto legal" resguarda os dois clubes.

NOME CASADO

A VENETA conversou com o vice-presidente da Associação Desportiva Ateneu, Cássio Aquino, que definiu a parceria como "o resgate do Ateneu, um clube com história consolidada, associado à realidade bem sucedida do Funorte". De fato, segundo o dirigente do Broca, o acordo vai mais além do que a ampla reforma do estádio, incluindo a construção de arquibancadas, vestiários e bares, além da instalação do novo gramado. "Os nomes serão associados, inclusive com a possibilidade de a volta da tradicional camisa do Ateneu", adiantou, lembrando que o Ateneu/Funorte vai estar em todas as competições de base.

CONSELHO AVALIZA

AS NEGOCIAÇÕES COMEÇARAM entre o Funorte e a Diretoria Executiva do Ateneu. O Conselho Deliberativo do Broca foi convidado a discutir o assunto desde a semana passada e já participa diretamente das reuniões. Ou seja, não há qualquer aresta do que poderia ser o único foco de resistência para a parceria. Ainda ontem, um advogado foi contratado pelos atenenses para dar redação ao convênio com base nas observações dos conselheiros, que tem o empresário João Batista Melo como presidente, e da diretoria, presidida por Flávio Gusmão. O departamento jurídico do Funorte também já trabalha nesse sentido.

RESGUARDAR

"A PREOCUPAÇÃO NO momento, se é que podemos usar esta palavra, é resguardar os dois lados: que o Ateneu tenha a total garantia de que tudo será cumprido e não assuma qualquer ônus; e que o Funorte, por sua vez, possa usufruir de todos benefícios do convênio pelo tempo que for determinado, mesmo que haja mudança na diretoria ou mesmo no Conselho do Ateneu", respondeu Cássio.

PALPITE

O VICE-PRESIDENTE confessou que já deu "um palpite" sobre a reforma do gramado, ao indicar a HS Gramados, de Belo Horizonte. "Trata-se de uma empresa com uma folha de bons serviços prestados e que se tornou referência neste tipo de trabalho, até porque Ateneu e Funorte têm pressa", acrescentou. Segundo ele, a HS tem como clientes a Toca da Raposa II, Ipatingão e Cidade do Galo, entre outros.
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: