Funorte: Jr reabilita; sangue e boa ação; namoro com o BMG e o STJD

MISSÃO CUMPRIDA

O JÚNIOR do Funorte conseguiu a reabilitação no Campeonato Mineiro. Com mais da metade do time modificada em relação à estréia ruim em Sete Lagoas (0x3), venceu o Venda Nova em casa por três a um, ontem à tarde, pela segunda rodada da Chave A da segunda fase. Agora é o quarto colocado com os mesmos três pontos do Cruzeiro, Democrata/SL e do próprio Venda, mas pior saldo de gols. Ainda na rodada, o Cruzeiro fez 4x1 no Jacaré, enquanto o Tupi venceu o União de Itabirito por dois a zero. Na rodada que vem, mais uma vez em casa, o Funorte vai receber o Cruzeiro.

BOA AÇÃO E EXAME

NO INÍCIO DA pré-temporada, o Funorte vai unir o útil ao agradável. Nesta semana, o clube levará todos os jogadores para uma ação solidária no Hemominas. A doação de sangue geral. Em contrapartida, como é de praxe em qualquer Hemocentro, todo material coletado será analisado meticulosamente e, assim, o clube terá cumprido a etapa dos exames de sangue. Não se trata de nenhuma novidade. Isso aconteceu no primeiro semestre, antes do Campeonato Mineiro do Módulo II, e até convenceu o time a fazer uma campanha. A cada jogo como mandante, entrega no campo com camisas alusivas sobre a doação de sangue.

MODÉSTIA

FAZENDO JUS ao que foi palpite da Veneta tão logo acabou o Módulo II, o Funorte terá um orçamento bem mais modesto para este semestre, embora tenha uma competição oficial pela frente: a Taça Minas Gerais. O primeiro sintoma esteve na dispensa do técnico José Maria Pena, considerado caro para qualquer equipe do interior. Foi substituído por Maurélio Miranda, que já é profissional contratado do clube há dois anos. Ele não vai acumular os salários; portanto, uma despesa a menos.

POUCO CONHECIDOS

ALÉM DISSO, O clube fez dispensou os jogadores mais experientes (salários mais altos), manteve uma base relativamente jovem e, ainda, anunciou nomes pouco conhecidos como reforços, sendo que alguns ainda estão em período de testes. O inchaço do elenco será aliviado já na próxima semana. ATé 10 dos atuais29 atletas devem ser dispensados.

NEM OFICIAL, NEM OFF

NÃO QUE ALGUÉM tenha afirmado isso, nem oficialmente ou em off, mas todos os sintomas são mesmo de uma receita mais econômica, até porque, antes mesmo do final do Módulo II, o FEC teve problemas com atrasos de salários. O plano para incrementar o caixa existe, desde o início do ano, mas, por enquanto, somente na teoria.

AINDA NAMORO

DESDE O INÍCIO do ano, como já comentamos em diversas oportunidades por aqui, a direção do Funorte "namorou" com o BMG para ter seu primeiro patrocinador master externo.
DESDE SUA fundação, sempre foi custeado pelas escolas ligadas à Soebras, sua sociedade mantenedora, como as próprias faculdades que lhe dão o nome e o Colégio Promove.
ENTRE REUNIÕES na Capital, o acordo com a instituição bancária fluiu em torno de 90%, inclusive sobre valores (algo em torno de R$ 80 mil mensais), mas tudo dependeria, no final, de um convênio do banco com uma prefeitura.
OU SEJA, o clube recebe o patrocínio e, em contrapartida, ajudaria a viabilizar em sua própria cidade "crédito consignado para os servidores públicos". A grande vantagem? A inadimplência é zero, pois o desconto do empréstimo é na folha.
NOS ACORDOS do BMG com a URT e Mamoré, por exemplo, foi a prefeitura de Patos de Minas quem ajudou os clubes. A cota de cada um, pela temporada do Módulo II, foi de R$ 60 mil.

STJD DIA 29

AINDA SOBRE o Formigão, o julgamento do recurso apresentado pela Procuradoria da Federação Mineira de Futebol ao STJD da CBF contra o Mamoré, ainda sobre o caso Vitinho, finalmente foi agendado. A informação foi passada ao clube ainda na segunda-feira, pelo advogado Lucas Ottoni, contratado para acompanhar o andamento do processo. A sessão acontecerá no dia 29 de julho. Trata-se da terceira instância sobre a denúncia contra o meia do time de Patos de Minas, que teria jogado em duas oportunidades no Módulo II com o contrato vencido. Mesmo com as finais já disputadas, o Mamoré corre o risco de perder a vaga de acesso à 1ª Divisão de Minas em 2011, e conquistada dentro de campo.
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: