BMG/Montes Claros sem sul-americano; camisas; Funorte: Cruzeiro de volta ao caminho

SEM SUL-AMERICANO

FIM DO MISTÉRIO
; e de forma decepcionante para o torcedor de Montes Claros. Na informação oficial que recebi ontem pela manhã, a jornalista Márcia Loureiro, da MM Press Produções (Rio de Janeiro), empresa contratada para todo o trabalho de assessoria de Comunicação tanto da Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) como da Confederação Sul-americana de Voleibol (CSV), explica que o time da cidade está fora da disputa do título continental.

A NOTA

SEGUE A NOTA
: “Christiano, cada país é representado apenas por uma equipe no Campeonato Sul-americano de Clubes. Infelizmente, só mesmo o campeão da Superliga da última temporada. Um abraço, Márcia”. O time está treinando normalmente, como aconteceu na noite de ontem, no Ginásio Poliesportivo Tancredo Neves (foto ao lado).

RESPOSTA

A EXPECTATIVA DE
ver o BMG/Montes Claros de Giovanni Chagas e Rodriguinho (foto ao lado) na principal competição de clubes da América do Sul deveria ser entendida como natural, até porque, no formato da competição do ano passado, além de ser sede, o Brasil teve direito a três vagas na competição. Portanto, até as segundas explicações, o vice-campeão da Superliga Nacional parecia ter direito de disputar o principal título continental. Assim, com a reprodução da resposta enviada pela Márcia Loureiro, gerente de imprensa da CBV/CSF, acabo por responder aos leitores que nos perguntaram sobre o assunto nas últimas semanas. (fotos vôlei: Rubem Ribeiro)

E A CAMISA

SE O FUTURO MUDOU
, sobre o presente do clube, o assunto uniforme só vai entrar em pauta quando for fechada a cota dos patrocinadores. A receita ainda está menor que o orçamento idealizado. Tão logo os números sejam definidos, a nova camisa vai “para a prensa”, como se diz na gíria. Por ter acreditado na primeira temporada do projeto, a mineira Finta tem a preferência na renovação. Somente depois da resposta da empresa que as outras propostas, da Olimpikus e da Wilson serão analisadas, necessariamente nesta ordem.

INGRESSOS

EM NOTA OFICIAL
, divulgada pela assessoria de imprensa através do jornalista Heberth Halley, o Funorte comunica que, a partir de hoje, inicia a venda antecipada de ingressos para seu jogo contra o Cruzeiro, sábado, às 15 horas, no Estádio José Maria Melo, pela terceira rodada do Campeonato Mineiro Júnior. Os valores são simbólicos: R$ 4 (inteira) e R$ 2 (meia-entrada). Até o momento, há somente dois pontos de venda: Gol de Placa Sports (rua Coronel Antonio dos Anjos) e Papelaria Xodó (rua Governador Valadares), ambos no centro da cidade.

SEMPRE NO CAMINHO

COINCIDÊNCIA OU NÃO
, nas duas primeiras participações do Funorte no Estadual Júnior, em 2008 e 2009 sob o comando dos técnicos Edvaldo Bento e Erivelto Martins, respectivamente, o Cruzeiro sempre caiu em sua chave na segunda fase classificatória. E depois, com a boa campanha de ambos, voltaram a se encontrar no hexagonal final. Ambas as campanhas culminaram com a terceira colocação geral para o Formigão e, pelo critério técnico, com vagas na Taça São Paulo Júnior.

HISTÓRICO

ALIADA ÀS INFORMAÇÕES
da nota do assessor, uma rápida pesquisa no site da Federação Mineira de Futebol (FMF) ajuda a resgatar o histórico de jogos entre os clubes nesta categoria. Em se tratando de Campeonato Mineiro, Funorte e Cruzeiro se enfrentaram oito vezes no período, sendo quatro em cada fase (2ª e Hexagonal). São três vitórias para cada lado, além de dois empates. Curiosamente, venceram somente na condição de mandantes.

SÓ EM CASA

NO CASO ESPECÍFICO
das partidas no Estádio José Maria Melo, como a que acontecerá daqui a três dias, o Funorte venceu as duas em 2008: 2x1 na 2ª fase e 1x0 no Hexagonal.
NO ANO PASSADO, vitória na classificatória por um a zero e, no fechamento da competição, na última rodada do hexagonal que chegou até a valer o título para os dois times, empate em um a um. O América acabou ficando com o título.
OU SEJA, ALIADO à invencibilidade no curto currículo, o histórico deve ser entendido como motivação extra pelos jogadores e comissão técnica tricolores. MAS NAS VEZES QUE o Cruzeiro venceu, mesmo sendo em seus domínios, em Belo Horizonte, foram só goleadas: 4x0, 6x1 e 4x1, além de um empate em um gol. (fotos Funorte x Cruzeiro: Wilson Xu Medeiros)
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: