Com renovação assinada, Rodriguinho conta sua história

O capitão vai ficar. Líder do grupo e eleito o melhor levantador da Superliga Nacional, principalmente pelo rendimento nos play-offs, Rodriguinho antecipou-se ao mistério da diretoria e confirmou à Veneta a renovação de contrato por mais uma temporada com a camisa do Bonsucesso/Montes Claros/Funadem.

O novo contrato já havia sido assinado antes mesmo do jogo em São Paulo, sábado, contra o Cimed. Hoje, depois de gravar um comercial para o clube e patrocinadores, o jogador vai seguir viagem para o interior de São Paulo, onde vai curtir as férias até a primeira quinzena de junho, período previsto para a apresentação.

Na conversa com o blog, o ídolo falou da experiência em jogar no interior, a renovação do grupo e o papel do capitão para as novas contratações.


Rodrigo de Gennaro Leme, você fica no Montes Claros?
RODRIGUINHO – "Sim... (risos – porque foi chamado pelo nome completo). Renovei por mais uma temporada, antes mesmo da final, e com toda a disposição para até mesmo melhorar o trabalho que a gente fez nesta temporada".

Mas tem gente saindo...
RODRIGUINHO – "Acontece... O trabalho foi muito bom e valorizou os atletas que conquistaram o vice-campeonato da Superliga. O grupo vai mudar um pouco, mas vem gente aí tão boa como aqueles que trabalharam neste ano. A torcida pode ter certeza disso".

Sobre as mudanças. Como capitão e uma das referências de grupo, você tem sugerido algumas contratações?

RODRIGUINHO – "Sem dúvida! Inevitavelmente, o jogo passa sempre pelo levantador, que tem a bola quase que o tempo todo na mão. Então, sugerir alguém para vir para o Montes Claros faz parte de um trabalho de equipe, porque você vai precisar de entrosamento; coisa de confiança mesmo".

E quem são esses novos companheiros?

RODRIGUINHO – "Ainda estamos conversando com esse ou aquele jogador. O que posso adiantar é que são bons valores. O perfil do time sobre características de jogo deve mudar muito pouco. É o seguinte: a diretoria dá a liberdade para a gente sugerir, mas a palavra final é dela".

A diretoria fala que pode vir pelo menos um estrangeiro como reforço. Qual a diferença do trabalho com alguém de outra escola?

RODRIGUINHO – "Olha, em termos de competição, o vôlei hoje é igual em qualquer parte do mundo. Quanto ao estilo, a pessoa vai se adaptar bem. O problema seria de acostumar com o clima e com a carga de treinos que no Brasil é bem diferente; muito mais puxada".

Como veio parar aqui?

RODRIGUINHO – "Veja só: estava na Itália, assim como o Diogo e o Lorena, cheio de incertezas porque os dirigentes dos clubes não sabiam qual seria o limite de estrangeiros para a próxima temporada e muito menos os recursos para investimentos. Além disso, tinha um problema no joelho esquerdo que não passava nunca. Veio o convite para o Brasil e, diante desse cenário, me peguei a Deus: orei muito e pedi uma luz para que Ele me colocasse em um lugar onde eu conseguisse resolver todas essas questões, principalmente o problema na perna".

Tomou gosto mesmo por Montes Claros ao ponto de não pensar duas vezes em ficar e acertar a renovação?

RODRIGUINHO – "É um conjunto de coisas boas... Muitas delas aconteceram aqui. Como disse, quando cheguei, tinha um problema sério de joelho, sentia dores horríveis e até tinha medo de parar a minha carreira. Nem na Europa deram jeito; ele foi resolvido aqui. Temia pela cirurgia e, em um mês de tratamento com o doutor Jomar [de Almeida, fisioterapeuta do clube], eu estava curado; não senti mais nada. Ele foi impecável".

Lá em São Paulo, conversando com seus companheiros, alguns falaram com emoção dos seus depoimentos na preleção. Foi essa a história contada?

RODRIGUINHO – "Foi sim...Dentre outras coisas que a gente falou, essa fez parte da mensagem que eu passei para o time. O problema era muito sério, porque eu sentia dores horrorosas; incontroláveis. Na Itália, o pessoal insistia nas injeções e só; davam a entender que não sabiam o que estava sendo feito".

Você disse não ter sentido mais nada em relação as dores. E as costas de vez em quando?

RODRIGUINHO – "Ah sim! (mais risos) Estava com um colchão ruim e para piorar, estava dormindo em posição errada. Precisei de quatro sessões de massagens, mas nada demais".

E teve ainda dengue...

RODRIGUINHO – "Que coisa ruim! Foi bravo, repouso na cama, injeções, médico em casa; quase fiquei de fora da semifinal contra o Cruzeiro".

ACÁCIO NO SADA; DIOGO NO MINAS?

Como ninguém da diretoria (nem o capitão Rodriguinho) adianta quais seriam as mudanças no elenco do Bonsucesso/Montes Claros, as especulações dão conta de confirmá-las dia após dia. Depois do líbero Tiago Brendle, que foi contratado ontem, outro jogador pode parar no Vivo/Minas.

Depois de ouvir a proposta de renovação do Montes Claros, o ponteiro Diogo (foto ao lado) já tem em mãos a proposta do time de Belo Horizonte e pode se transferir a qualquer momento.
A Capital também seria o destino do central Acácio, que está sendo contratado pelo Sada/Cruzeiro, por indicação do técnico Marcelo Méndez. (fotos: Alexandre Arruda/CBV)
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

2 comentários:

Igor Tadeu disse...

Excelente notícia essa da renovação do Rodriguinho. Tendo um levantador dessa qualidade já facilita bastante para os atacantes. Tomara que as especulações não se concretizem e Lorena e Diogo fiquem por aqui.

Alessandra Ribeiro disse...

Parabéns Cris!
Alessandra
Obrigada pelo link!!!!