A uma vitória da final; superação, ingressos na segunda, telões

SUPERAÇÃO

POR TODO o histórico antes do jogo, marcado pela antecipação da data e troca de acusações nos bastidores envolvendo os times e a CBV, o Bonsucesso/Montes Claros esbanjou na
superação para vencer a primeira partida da semifinal e, agora, está a uma vitória da final da Superliga Nacional de Vôlei. Nessa sexta-feira à noite, no ginásio Maestro Silvério Flausino, em Itabira, venceu o Sada/Cruzeiro por 3 a 1, de virada – com duração de duas horas e cinco minutos.

VITÓRIA = VAGA NA FINAL

SE DERRUBAR o rival - ou seria arquirrival? - outra vez na partida de volta, terça agora, às 21 horas, no Poliesportivo Tancredo Neves (que a torcida faz questão de chamar de " O Caldeirão"), garantirá vaga na decisão da mais importante competição de vôlei do País (e para os próprios jogadores, de todos os 17 times, a melhor do mundo).

ÚLTIMO

ESTE pode ser o último jogo do time em casa. Se ganhar, vai para a final única no Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo/SP. Se derrotado, terá a chance do terceiro jogo, ainda em Itabira para ver qual mineiro decidirá o título. Se for eliminado pelo Cruzeiro (o que ninguém cogita depois do feito heróico da sexta-feira), disputaria o terceiro lugar ainda em local indefinido.

BARES E PROVOCAÇÕES

O ENVOLVIMENTO do montes-clarense foi geral na noite de sexta-feira. Dezenas de bares e até mesmo os shoppings abriram espaço para o torcedor se reunir e acompanhar a transmissão ao vivo pela TV a cabo. Já outras 150 pessoas que pegaram estrada nos três ônibus fretados pelo clube vibraram com os próprios jogadores segundos depois da vitória. O técnico Talmo de Oliveira foi carregado nos ombros. E lá em Itabira as provocações ao ex-técnico do Montes Claros, Marcelo Méndez, foram inevitáveis.

ESCOLTA

POR ISSO e mais um pouco, o clima naquela cidade não ficou nada amistoso, já que a torcida provocou e foi provocada e teve que ser escoltada pela Polícia Militar até a saída da cidade.

INGRESSO R$ 10 E SÓ 2ª À TARDE

HOJE PELA MANHÃ, a direção do
Montes Claros/Funadem confirmou que os preços dos ingressos estão definidos para a terça-feira: R$ 10 (R$ 5 meia). A venda antecipada começa no início da tarde de segunda-feira, nos pontos autorizados das lojas Palimontes e, no dia do jogo, na bilheteria do Ginásio. A promessa já é de longas filas, mas para dar o direito a um maior número de pessoas, haverá limite de cinco bilhetes por pessoa. Como houve problema de falsificação na partida contra o BVC, uma empresa de outro estado está fabricando os bilhetes que serão identificados de forma eletrônica. Resta definir, ainda, a carga total de ingressos que serão vendidos.

TELÃO

COMO É LATENTE a expectativa de casa cheia, o time vai dar suporte aos torcedores que não conseguirem ingressos. Um telão será montado do lado de fora do ginásio. Há possibilidade do serviço também ser feito em um ponto mais central (como o estacionamento da prefeitura).

SEXTA VITÓRIA

ESSA FOI A sexta vez que o time norte-mineiro derrotou o Cruzeiro, sendo a segunda na Superliga Nacional. Outro fato de destaque para a história do confronto. Essa foi a primeira vez que o Sada/Cruzeiro foi derrotado em casa pela Superliga. O time estrelado gabava-se de ser o único mandante com 100% de aproveitamento.


VACILO NO PRIMEIRO

SOBRE O JOGO PROPRIAMENTE DITO, volto a falar no poder de superação do time, já que teve inúmeros problemas para a viagem e os treinamentos com a antecipação de um dia no jogo das semifinais. O Montes Claros começou o jogo arrasador. Chegou a abrir sete pontos de vantagem no primeiro set (20/13), mas por incrível que pareça se sucumbiu aos saques forçados do adversários e permitiu a virada. Somados, também, os três bloqueios seguidos de Renato Felizardo, o Cruzeiro acabou vencendo por 25/22. Parecia que o time estava sentindo o cansaço pelo descanso reduzido entre o terceiro jogo com o BVC e esta primeira semifinal.


SEM MARCAÇÃO

JÁ COM Ezinho no lugar de Diogo e Rodriguinho fugindo da marcação que o adversário fazia sobre Lorena, o segundo set começou com um "rally". Os times se alternaram na frente do placar por apenas um ponto de diferença, até o Montes Claros pecar nos ataques; a maioria para fora. Mesmo assim, o equilíbrio permaneceu porque o Cruzeiro também errava. No 21º ponto, a primeira polêmica da arbitragem, que acusou um toque no bloqueio de Lorena que não aconteceu. Thiago Salsa ainda errou o saque. O placar continuou ponto a ponto. Acácio foi determinante na rede, assim como Lorena nos saques. O segundo forçava enquanto o primeiro, aproveitando a má recepção do rival, acertava os bloqueios. Empate em sets: 28/26.

FULMINANTE

EMPATADO o placar, o terceiro set teve um início fulminante dos montes-clarenses. Já no primeiro tempo técnico, a vantagem era de cinco pontos. Dessa vez, ao contrário do primeiro set, soube administrar. Destaque para as recepções de Brendle e Ezinho, além dos ataques de Lorena e Piá. O levantador Rodriguinho foi o protagonista do primeiro ace dos norte-mineiros. Acácio voltou a acertar o tempo nos bloqueios e anulou Zanuto e Wallace. Sem dar sopa para o azar, os comandados de Talmo fecharam em 25/18 com o saque adversário para fora.

EQUILÍBRIO E OUSADIA

O QUARTO set foi tão equilibrado quanto o primeiro até o nono ponto. Bem na recepção e no contra-ataque, Ezinho e Piá fizeram a diferença virando todas as bolas, além de explorarem o bloqueio cruzeirense. Ainda com a ousadia de Lorena nas diagonais, o time conseguiu mais uma vez abrir uma vantagem considerável de cinco pontos, mas uma decisão do árbitro por pouco não comprometeu a concentração montes-clarense. Piá e Diogo (que estava no banco e, por ter chutado a bola foi advertido - o cartão foi direcionado ao capitão Rodriguinho) foram advertidos com cartões e o rival encostou (15x13) e chegou a virar (18x19). Mas o Cruzeiro também errava e com ataques para fora e saques na rede, o Montes Claros retomou a ponta (22x21). Aí, Lorena resolveu decidir virando todos as bolas: 25/23.

PONTOS

WALLACE foi o maior pontuador com 22 acerto. Lorena, Acácio e Piá foram os mais eficientes pelo lado do Montes Claros, com 15, 14 e 11 pontos, respectivamente. O Ginásio em Itabira recebeu 4.685 pessoas.

Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: