Rodriguinho derruba até suspeita de Dengue

O LEVANTADOR Rodriguinho foi um capítulo à parte nessa “quase final” contra o Cruzeiro. A informação foi guardada a sete chaves pelo clube, até mesmo para que o adversário não se aproveitasse da situação de alguma forma.
MAS ERA FATO que o jogador de 30 anos recém-completado entrou em quadra ainda no suspeita de dengue. Ficou sem treinar por três dias e até isolado na cama teve que ficar. A comissão técnica trabalhou muito para segurar a informação: da torcida, da imprensa e principalmente do Cruzeiro.
A VERSÃO sobre sua ausência no treino foi uma só e sobre um problema até certo ponto comum com a mudança de temperatura entre o dia e a noite: sinusite.


O que você realmente teve?
RODRIGUINHO – “Não sei ao certo. Alguma virose. Só sei que fiquei mal demais; achei que não daria conta de nada”.

A comissão técnica falou em dengue...
RODRIGUINHO
– “também pensei que fosse. Senti todos os sintomas. Teve momentos aqui no jogo que pensei que fosse desmaiar. Foram várias vezes que as pernas bambearam”.

Como isso aconteceu?
RODRIGUINHO
– “Sinceramente não sei. No sábado à noite, assisti o primeiro jogo da outra semifinal. Estava super bem, ainda mais que a gente tinha vencido lá em Itabira. Alto astral até demais. No domingo, já acordei com o corpo todo ruim”.

Como assim?
RODRIGUINHO
– “Sentia o corpo todo dolorido; bem indisposto. Tratei logo de ligar por pessoal a falar o que estaca acontecendo. Nem consegui levantar direito da cama. Imediatamente, mandaram dois técnicos lá na minha casa”.

E como foi essa recuperação?
RODRIGUINHO
– “Fiquei três dias sem treinar. Na segunda-feira, passei o dia inteiro na cama. Até para abrir o olho sentia dor. Tomei nada menos do que três injeções”.

E como assumir o sacrifício?
RODRIGUINHO
– “Tirei força não sei de onde. Acho que da vontade de ganhar. O trabalho nosso é bonito demais. Então, fiquei quieto como os médicos mandaram e cumpri todo o tratamento. Certamente foi isso que acelerou minha recuperação”.
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: