Montes Claros x Cruzeiro: versão do Sada, arestas dos técnicos, mais bastidores e a volta na terça...

SADA RESPONDE

EXTREMAMENTE SOLICITA, a jornalista Andréia Santos, assessora do Sada/Cruzeiro, envia-nos resposta que pedimos sobre a versão do clube a respeito da antecipação do primeiro jogo das semifinais contra o Bonsucesso/Montes Claros. Leia a seguir:


A VERSÃO

“A SOLICITAÇÃO que foi feita à CBV era para que a equipe do Sada/Cruzeiro não jogasse no sábado pela manhã, em função do horário comercial em Itabira (que poderia prejudicar nosso habitual público) e, ainda, pela entrada de luz no ginásio”.

MAIS: “O Sada/Cruzeiro sugeriu sexta à noite ou sábado à noite (somente pediu que não fosse no sábado pela manhã)”.
COMPLETANDO: “Assim como a equipe de Montes Claros, aguardamos ansiosamente durante toda a quarta-feira pela informação oficial das datas da semifinal pela CBV (é muita coisa a se providenciar para uma partida, tanto para quem recebe quanto para quem visita)”.
FINALIZANDO: “Somente tivemos a confirmação oficial na quarta à noite, por volta das 21 horas”.

REPERCUSSÃO

SEM EXAGEROS, mas os contratempos nos últimos dois dias envolvendo o time do Bonsucesso/Montes Claros na semifinal da Superliga, como antecipação de jogo da manhã de sábado para a noite desta sexta-feira (sem que outra alternativa fosse cogitada pela CBV ou mesmo pela TV), perda de treinos, viagens a prestações, hotel sem vaga, desgaste, cansaço, dentre outros pontos, teve repercussão em todos os sentidos.


HISTÓRICO DE ARESTAS

CERTAMENTE pelo clima de rivalidade entre os dois clubes, “a coisa” rendeu assunto não somente pelo que aconteceu dentro de quadra no histórico de oito jogos entre eles, mas, quem sabe, também, pelas arestas da guerra de bastidores desde a troca do técnico Marcelo Méndez, que deixou o Montes Claros logo após a conquista do Campeonato Mineiro, seduzido pela oferta financeira – e irrecusável – do Sada/Cruzeiro. E justamente para substituir o então demitido Talmo de Oliveira, que viria ser contratado pelos norte-mineiros três dias depois.


BOM FICA DE LADO

MAS POR SE TRATAR de polêmicas, rendeu discussões até mais do que os próprios feitos positivos que o time proporcionou ao longo da competição, como a quebra constantes de recordes de público (98,1 mil pessoas em todos os seus jogos), as perfomances de Lorena e Diogo como o maior e o mais eficiente pontuador da competição, e por aí vai.


AGRADECIMENTOS

E AOS LEITORES, dos antigos aos mais novos, agradecemos a exposição do blog como referência, seja, no twitter, nas comunidades, nos e-mails, fones ou mesmo pelo bate-papo. E aos colegas jornalistas, obrigado pelos elogios.


ORKUT

NO ORKUT, na comunidade "Bonsucesso Montes Claros", uma torcedora chegou a sugerir ao prefeito "ponto facultativo em Montes Claros para que a torcida pudesse ir a Itabira". (nota: dos 25 ônibus reservados, apenas cinco seguiram viagem, já que nem todos os torcedores puderam negociar com os patrões ou com seus professores, ou mesmo, como se fiz na gíria, "matar" serviço ou aulas").


TERMOS

AINDA NO MESMO site de relacionamentos, na comunidade "Superliga 2009/2010", administrada pela própria CBV, dezenas de notas de repúdio pela antecipação do jogo. Algumas pessoas mais exaltadas, usavam termos como "manobra e conchavo" por causa da antecipação do jogo.


FÓRUM

ALIÁS, NESSA última comunidade, a nossa matéria veiculada no JORNAL DE NOTÍCIAS de quinta-feira, mereceu tema em um fórum de debates. No texto, era descrita a possibilidade de mudança da data, mas para o domingo, já que o time de Montes Claros havia vetado a antecipação para a sexta.


PACTO

APURAMOS QUE, antes da viagem a prestação, já que a delegação não pôde ir no mesmo voo, diretoria e jogadores do Montes Claros estiveram reunidos. A revolta foi geral sobre a realização do jogo antes do previsto e teria acontecido até mesmo um pacto.


"NUNCA ANTES NA..."

PARAFRASEANDO o presidente Lula com seu jargão “nunca antes na história deste País”, a leitora Francys Silva, em seu comentário neste blog, fala sobre a confusão instalada no vôlei brasileiro por causa da mudança de data na semifinal entre Montes Claros e Cruzeiro.

“INTERESSANTE DEMAIS! A CBV nunca deve ter recebido tantas reclamações como agora. Os torcedores estão indignados e a todo instante uma nova reclamação é enviada ao site dela”, assina a torcedora.

VOLTA NO DIA ÚTIL

ENCERRANDO O ASSUNTO – pelo menos por agora, já que mais tarde teremos o primeiro jogo -, vale lembrar que a CBV alterou a segunda partida da série. Não será mais na quarta-feira, feriado nacional de Tiradentes (e certamente mais cômodo para todos). Atendendo à TV, Montes Claros e Sada/Cruzeiro voltam a jogar na terça-feira que vem, às 21 horas, no Poliesportivo Tancredo Neves.


OUTRAS CIDADES

MESMO QUE ainda seja em um dia útil, que sabe o torcedor das outras cidades do Norte de Minas possam vir a Montes Claros e conhecer de perto o que a torcida vem fazendo nesta Superliga.

ESSA FALTA DE oportunidade me faz lembrar não apenas das meninas de Januária, que viajaram duas horas e meia de ônibus acreditando que encontrariam ingressos na porta do ginásio para ver o derradeiro jogo das quartas-de-final contra o BVC.
SEM SUCESSO, se contentaram apenas em ouvir os gritos do lado de fora. Uma narração inusitada, mas que teve seu final feliz.

MAIS SORTE


ALUNA de educação física, Inaiana teve mais sorte que as amigas de Januária, mas também ficou de molho do lado de fora nos dois primeiros sets. Por causa da lotação máxima - comprometida pelos ingressos falsos que apareceram (Nota: isso merece uma outra coluna) -, algumas pessoas com os bilhetes legais tiveram problemas na entrada.
A REVOLTA foi inevitável, até porque a moça havia cumprido o mesmo ritual em todos os outros 17 jogos do Montes Claros em casa. No caso específico do terceiro jogo diante do BVC, enfrentou fila debaixo de sol para garantir o passaporte e até lembrou da mesma maratona na partida que o time teve contra o rival Cruzeiro, ainda na primeira fase.
"COMPREI dois ingressos. Mas o outro não era para ninguém não! Guardei como lembrança. Peça de colecionador", lembrava, mas sem antes ameaçar o porteiro de registrar uma ocorrência caso fosse realmente barrada mesmo com o ingresso oficial nas mãos.
MESMO ciente de que assistiria "somente" os últimos três sets, tão logo teve o acesso permitido, correu à procura de um lugar à beira da tela.

DIRETO DE CORINTO

TEM AINDA o caso do protético Cléber Ferreira de Jesus. Até então acompanhava o vôlei apenas pela TV. Na terça-feira passada, arriscou-se a sair de Corinto, a 230 quilômetros de Montes Claros, para ver de perto.

ATÉ QUE chegou cedo ao Ginásio (15h30), mas talvez sem dimensão do que o jogo valia, mal sabia ele que os ingressos estavam esgotados desde as 14h30. Mesmo assim ficou na porta à espera de um milagre que não fossem os cambistas – chegaram a pedir até R$ 50,00 pela entrada.
SEM SUCESSO, ainda insistiu. Acionou até mesmo os jornalistas. Esperou até pelo terceiro set. No fim, parece ter se contentado com o que viu do lado de fora e prometeu voltar, mesmo sem saber se a classificação viria.

SOÇAITE NA COTEMINAS

PATROCINADOR DO time de vôlei (mas sem muito alarde), o Grupo Coteminas realiza neste sábado, no campo da fábrica matriz, a fase semifinal do torneio de futebol soçaite dos Jogos Internos/2010. A disputa teve início em março, envolvendo mais de 280 funcionários de todos os setores das unidades que o grupo tem em Montes Claros. A tabela é a seguinte: manhã – Almoxarifado x Cebractex (8 horas) e Lençol x Santanense C (9 horas); tarde – Tinturaria A x Preparação (16 horas) e Estamparia x Manutenção Cebractex (17 horas). Os campeões de cada confronto fazem as finais; o mais provável que seja nas comemorações do Dia Internacional do Trabalho (1º de maio).


CINCO PARA CADA

A LIGA Montes-clarense de Futebol (LMF) repassou aos 15 clubes inscritos no Campeonato Amador, mais duas bolas oficiais da Penalty. Antes mesmo da competição acontecer, cada participante já havia recebido outras três bolas.

Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

1 comentários:

Carlos Ed. disse...

Olá,

Suas matérias são sempre interessantes e bem escritas, mas esse negócio de cortar a matéria com TÍTULOS, não é algo legal de ser ler, interrompe a leitura, é como se estivesse observando uma fotografia tira por tira, as vezes foge o nexo das informações!