Indiscutivelmente finalista!

HAJA VOCABULÁRIO

SUPERAÇÃO, RAÇA, FORÇA
de vontade... Esta é a linha do vocabulário que pode resumir o que o time do Bonsucesso/Montes Claros fez na partida da terça-feira, a segunda das semifinais da Superliga Nacional de Vôlei. Depois de estar perdendo por dois a zero e com o terceiro set aparentemente comprometido (estava cinco pontos atrás), venceu o Sada/Cruzeiro de virada por três a dois.

CONVICÇÃO

FECHOU A SÉRIE
em dois a zero e garantiu a vaga na decisão logo em seu primeiro ano de Superliga. Não apenas pelo título mineiro ainda em 2009, mas principalmente por ter derrubado tantos outros times tradicionais ao longo da campanha na fase de classificação, deixou, com convicção, de ser apontado como azarão para se tornar favorito.

MESMO PATAMAR

AS PARCIAIS
foram de 20/25, 27/29, 25/23, 25/19 e 17/15 em duas horas e 21 minutos. Lorena (20), Acácio (18) e Piá (13) foram os maiores pontuadores, mas fica difícil dimensionar se esse ou aquele foi mais importante para o resultado. Uma simples substituição, seja para esfriar o adversário ou para aumentar o bloqueio, colocou titulares e reservas nas mesmas condições. O caso do "virótico" Rodriguinho, com suspeita de dengue, será contado mais abaixo, em um “pingue-pongue”.


MARCAS

A MÉDIA DE público foi reforçada com os 7.852 presentes no clássico. Se somadas, as bilheterias acumularam 108 mil pessoas em 19 jogos no Ginásio Poliesportivo Tancredo Neves.
O MONTES Claros manteve a tradição de colocar um time mineiro na final da Superliga. O Vivo/Minas esteve lá nos últimos seis anos e venceu duas.
NÃO APENAS POR isso, mas por todas as circunstâncias, o Montes Claros tornou-se manchete nacional em tudo quanto é emissora, jornal impresso, rádios e portais eletrônicos.
O ESQUILÃO, Bonsucesso/Montes Claros, Pequi Atômico, Bonsumoc, Montes Claros/Funadem ou Vôlei Montes Claros, qual seja a alcunha, espera o outro finalista na chave que conta com Cimed e Pinheiros.

PARADO NINGUÉM FICOU


É ERRADO
falar que a cidade parou para ver a partida. Pelo que o jogo representou e como ele aconteceu difícil acreditar que alguém ficou parado. Seja no ginásio, na transmissão pela TV a cabo ou nos vários telões espalhados pelo centro e nos bairros mais populosos. A torcida ficou agitada do início ao fim e a corrente positiva funcionou. Pela primeira vez, Montes Claros teve uma carreata por algo que não tenha sido eleição ou uma vitória de Atlético ou Cruzeiro.

DO BATE-PAPO À FINAL

UM PROJETO
que começou num bate-papo de sala de espera do aeroporto com ares de utopia, isso pela dimensão do que é um time profissional no País que tem o melhor vôlei do mundo há mais de uma década.

‘LEI’ DE JÚLIO CÉSAR

VENI, VIDI E VICI.
A Frase épica do general romano Júlio César bem que poderia ser aplicada como resumo ao que o time fez. Independente do que acontecer na final, “vim, vi e venci” traduz o feito do Montes Claros na temporada 2009/2010 do vôlei brasileiro, desde o Campeonato Mineiro, o Desafio Globominas, nos quais os dois maiores de Minas ficaram pelo caminho, e depois, rodada a rodada na Superliga, derrubando outros estreantes, os tradicionais e os favoritos de última hora.

EXEMPLO RUSSO

UMA VITÓRIA
como a de terça-feira nos remete a lembrar do que foi protagonizado pela Seleção Russa. Era uma final contra a seleção brasileira feminina, que vencia por dois a zero e, no terceiro set, mesmo com 24 a 19 a seu favor, conseguiu perder a partida por três a dois, em um Mundial de Vôlei na década de 90.

HEGEMONIA

NOS VÁRIOS
capítulos protagonizados nesse dia 20 de abril, bom ressaltar a manutenção da hegemonia sobre o Sada/Cruzeiro, sete vezes derrotado pelo Montes Claros no histórico de dez confrontos entre agosto/09 e abril/2010. E, ainda, o feito histórico de Lorena, que fez 19 pontos e tornou-se o maior pontuador de uma única edição de Superliga: 685, cinco a mais que Anderson, em 2001, na Ulbra gaúcha.

DATA, 30 BUSUS E ATÉ AVIÕES

A FINAL DA SUPERLIGA SERÁ
na manhã do domingo 2 de maio, em jogo único no Ginásio Ibirapuera. O horário e a data foram determinados pela emissora que detém os direitos de transmissão.
PELO MENOS 30 ônibus estão reservados para pegar estrada entre Montes Claros e São Paulo, mas pela demanda, não seria exagero elevar o número para 50.
COMO NARROU o ídolo Nalbert em seu blog. Haverá, sem dúvida, uma invasão sertaneja a São Paulo seja qual for a data da final (ainda está em discussão o jogo acontecer no feriado do dia primeiro).
TAMBÉM EM ANÁLISE as excursões aéreas. Pelo menos dois grupos, sendo um organizado por uma faculdade e outro por uma agência de turismo que estudam o fretamento de dois aviões para os torcedores mais abastados.
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

5 comentários:

Raphamoc disse...

São tantas emoções!!!!

Lincoln Veloso disse...

Jilvan

Parabéns pela cobertura. O mais otimista dos montesclarense, não acreditaria nesse feito. Com muito orgulho e muito amor, vamos para São Paulo. E que venha o Cimed. Mais vez, Parabéns pelas reportagens, na gíria, "ESTÃO UM SHOW DE BOLA"

Abraços. Lincoln

Carol Souza disse...

Jilvan bela materia. Mas só uma correção na parte "Exemplo Russo".
o jogo contra a seleção brasileira foi uma semi final olimpica em Atenas 2004. (por sinal muito dolorosa aquela derrota).

Christiano Jilvan disse...

Prezada Carol.
Obrigado pelos comentários. Na verdade, há dois jogos épicos entre Brasil e Rússia.
Um deles na década de 90, que o time russo virou perdendo de dois a zero. Na semifinal de Atenas, o Brasil tb fez dois a zero, mas teve chance de matar o jogo no quarto set e não no terceiro como foi nos anos 90. Mas vale sim citar os dois exemplos.

Rodrigo Rocha disse...

SEN-SA-CIO-NAL.

Interessante como são as coisas..... Nunca imaginaria que um dia na minha vida acompanhasse mais vôlei do que futebol. E nunca imaginei me orgulhar de um time da minha cidade. Poxa, esses caras são muito bons, e merecem ser campeões. Os montesclarenses agradecem.

P.S.: Parabéns pelo blog. Foi uma pena não ter conhecido antes!!!!!