Festa do levantador e o líbero falou!

RODRIGUINHO 30

NA SEMANA
passada, foi o central Acácio quem ganhou presente com a vitória diante do Vôlei Futuro, justamente no dia que completava 32 anos. Já na quarta-feira, com os três sets a zero sobre o Brasil Vôlei Futuro, a festa foi para Rodrigo de Gennaro Leme, o Rodriguinho, levantador e capitão do time do Bonsucesso/Montes Claros.

FESTA DO ESQUILO DOIDO

O PARABÉNS COM
direito a bolo, aconteceu em sala no próprio Ginásio Poliesportivo, organizado pela torcida organizada Esquilo Doido, com a ajuda da pela esposa Cris e das mulheres dos companheiros de time. Na verdade, foi uma comemoração antecipada, pois é nesta sexta-feira que o também capitão completa seus 30 anos.

VOO CEDO

TODA A
delegação vai viajar cedo rumo a São Bernardo do Campo – 6h45, logo no primeiro voo entre Montes Claros/BH. Paulista de Sumaré, uma cidade próxima a Campinas, Rodriguinho vai ser cortejado também em seu estado natal.

FAMÍLIA VAI

"TORCIDA
eu sei que a gente vai ter lá", disse o jogador à Veneta, ao lembrar do telefonema que recebeu um pouco antes do jogo contra o Brasil Vôlei Clube. Eram seus pais desejando boa sorte e, também, prometendo irem ao ABC Paulista para ver o filho famoso em ação. "Não sei não, mas arrisco dizer que a gente vai ter mais gente ao nosso favor do que eles", brincou o levantador em uma tentativa de prever o público do ginásio Adib Moysés Dib.

TUDO DIFÍCIL

SOBRE A VITÓRIA
no primeiro jogo dos play-offs, entendeu que o time estava inspirado "porque tudo foi difícil", sem esquecer de elogiar a qualidade técnica do adversário. Ao mesmo tempo, agradeceu ao público pelo apoio constante do início ao fim. Já a respeito das reações mais ríspidas com os companheiros, considera normal "pelo calor do jogo e a vontade de ganhar".

VOLTA COMPLICADA

PARA A PARTIDA
em São Bernardo que pode garantir a vaga na semifinal em caso de uma nova vitória, o jogador disse à reportagem que o Montes Claros vai encontrar dificuldades de se adaptar ao ginásio, a começar pelo espaço maior entre a quadra e as arquibancadas e pelo tipo de iluminação. Já na parte tática, assume a condição de capitão e adiantou: "o time vai ter que minimizar os erros. Temos que consertar algumas coisas, como os saques, que entraram pouco hoje (quarta-feira)". Entende, ainda, que a pressão mudou de lado e, mais do que nunca, o "Montes Claros vai ter que confirmar os seus ataques para evitar a realização do terceiro jogo".

FALA LÍBERO

PELO DESEMPENHO
acima da média, o companheiro Lorena já foi lembrado e, agora, sonha em ficar na lista final da Seleção Brasileira para a Liga Mundial. E justamente por causa do exemplo bem próximo é que o líbero Tiago Brendle acredita que a campanha do Montes Claros vai ajudá-lo a ser lembrado nas próximas convocações, mesmo que seja após a Liga. A motivação vai além da boa fase sua e do time norte-mineiro. Acredita que o processo de renovação implantado pelo técnico Bernardinho vá resgatar aqueles que passaram recentemente pelas seleções de base, como é o seu caso. Ao final do jogo de quarta, o gaúcho de Panambi conversou com a Veneta sobra Superliga, seleção, ser líbero e a permanência na cidade.

VENETA - Pelos "ossos do ofício" você não pode pontuar, mas não tem sede alguma de marcar?
BRENDLE
- "Não, não mesmo. Para ser sincero, nem um ponto que seja. Sei muito bem da importância do líbero. Acredito até que seja o termômetro do time. Por isso, sei que estive bem hoje (quarta) mais uma vez".

VENETA - Mas é difícil a torcidar gritar seu nome...
BRENDLE
– "Se cabe a comparação, acho que o líbero é para o vôlei o que o goleiro é no futebol. Não aparece tanto como um ponteiro ou oposto, mas reflete muito bem o que é o sistema de defesa. Se a galera gritar para o time inteiro está bom demais porque estou no meio".

VENETA - Mesmo estando de fora da primeira lista seria hora de pensar em seleção após a Liga Mundial?
BRENDLE
– "Mas é claro que sim. Tive o privilégio de passar por todas as seleções de base, conquistar títulos importantes. Ou seja, tenho serviços prestados (risos). Mas é claro que isso deve ser considerado".

VENETA– Quais títulos foram esses?
BRENDLE
– "Fui campeão mundial juvenil na Índia, em 2005, sendo eleito o melhor líbero no time do técnico Marcos Lerbach. Teve, ainda, o Sul-americano do Chile. Ah, sim, claro! Tem também o Campeonato Mineiro com o Montes Claros (risos)".

VENETA – Uma pergunta, diria, capciosa: o Brendle fica em Montes Claros na próxima temporada?

BRENDLE – "Estamos concentrados em um momento decisivo e muito importante, até mesmo para nosso reconhecimento pelo clube e pela própria torcida. Queremos chegar o mais longe possível. Falei de títulos internacionais, mas quero a Superliga Nacional, considerada a melhor de todos os tempos. Tudo isso vai interferir não apenas em minha permanência". (foto: Clésio Robert)
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

2 comentários:

Cristina disse...

Valeu Jilvan!! O Brendle merece ser reconhecido, pois é um grande líbero!! Parábens pelo blog, sempre com óimas informações sobre o esorte mineiro!!!

jack disse...

Tô adorando o seu blog, é onde vou semprte prá me atualizar das notícias do nosso querido time de volei. Parabvéns!!!