De virada, Vivo/Minas paga o pato

Como se trata de um dos melhores jogadores da Superliga, o Montes Claros se complica sem Lorena. Certo?

Errado. Diga-se de passagem muito errado. Mesmo desfalcado do oposto, que cumpriu suspensão automática pelos três cartões que recebeu ao longo da competição, o Funadem deu conta do recado, compensou o trpeço da quinta-feira diante do Sada/Cruzeiro - de virada - e venceu o segundo clássico da semana. Três a um no Vivo/Minas em plena Arena JK, em Belo Horizonte, que recebeu mais de 2,9 mil torcedores.

O resultado (21/25, 25/23, 25/20 e 27/25 em duas horas e 26 minutos) fez o time subir uma posição. Agora é o quarto colocado, com 23 pontos, superando o Sesi, que perdeu no sábado para o surpreendente Vôlei Futuro (que já havia derrotado o favorito Sky no meio da semana).


E justamente o substituto de Lorena, o ponteiro Diogo foi o destaque individual do Montes Claros na casa do Minas: fez 22 pontos. O técnico Talmo de Oliveira usou três opções para compensar a saída do ídolo. Primeiro Leozão, depois Ezinho e, por último, Diogo, que resolveu o problema. "Ele acertou praticamente tudo", disse, decepcionado, o técnico do Vivo/Minas, o Marcão.

Aliás, para ele, o jogo diante dos montes-clarenses foi muito complicado, inclusive no apito. O árbitro errou a contagem dos pontos no terceiro set, o que gerou protesto de todos os lados. O MOC vencia por 12 a 9, mas viu o placar voltar para 4 a 4, como manda o regulamento, mas nada que esfriasse o ritmo de jogo.
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: