Campeões abrem a Superliga aqui; Talmo fala à Veneta

Melhor time de Minas e com currículo de veterano, Funadem espera cumprir o ditado: "a primeira impressão é a que fica"

Depois de quatro meses de pla-nejamento, com treinos, amistosos e jogos oficiais, além de três títulos em quatro das competições disputadas, o Montes Claros/Funadem inicia nesta quinta-feira, o grande projeto que motivou sua fundação: a disputa da Superliga Nacional de Vôlei. A estréia em casa, contra o Sesi/SP, às 19 horas, no Poliesportivo Tancredo Neves, reconhecido pela CBV como o maior entre as cidades do interior do País com oito mil lugares. Os ingressos custam R$ 10 (R$ 5 meia) e podem ser adquiridos nas lojas Palimontes e na portaria do ginásio.

O jogo é histórico, afinal, é a primeira vez que um time da porção centro-norte do Estado disputa a competição. Esta será a 13ª edição da Superliga, mas antes mesmo da bola ir ao alto já vem sendo considerada como a maior de todos os tempos; primeiro pelo número recorde de clubes (17) e, depois, pelo fato dos principais jogadores brasileiros terem retornado ao País. A repatriação de todos os selecionáveis é mais um indício de que o nível técnico será o maior entre as competições de clubes do mundo.

CURRÍCULOS

Montes Claros e Sesi fazem parte da lista de novatos da competição, mas com currículos de dar inveja aos veteranos. O norte-mineiro é o atual campeão estadual, desbancando com propriedade os favoritos Vivo/Minas e Sada/Cruzeiro, além do próprio bicampeão brasileiro Cimed/Florianópolis no título do Desafio Globominas.

O seu adversário, com parte da base que o técnico Giovani Gávio teve no Tigre/Unisul na temporada passada, mas bem reforçada com nomes como o de Anderson, Thiago Barth e Sidão, todos selecionáveis, levantou a taça do Campeonato Paulista – considerado o mais forte do País. O estado tem nada menos do que sete times na Superliga.
TIME-BASE - Depois dos amistosos contra o Upis/Brasília – ambos vencidos por três a zero –, o técnico Talmo de Oliveira faz sua estréia oficial e já adiantou que manterá a base utilizada pelo seu antecessor, Marcelo Méndez. Aliás, o entrosamento foi a receita que o clube aplicou para vencer o Mineiro e o desafio Globominas.

Ontem, ele comandou o último treino antes do primeiro jogo, mas antes da bola, fez questão de colocar os seus comandados para analisarem o adversário. Todo o time foi reunido a portas fechadas para acompanhar estatísticas e vídeos sobre o Sesi. No entanto, o balanço não foi divulgado. "É um time forte", resumiu Talmo. Antes do treino tático, com saque e ataque, uma pelada de futebol para descontrair.

ENTREVISTA - TÉCNICO TALMO DE OLIVEIRA


Você está há três semanas no comando. O time já tem o estilo do Talmo?
"O tempo foi pouco para trabalhar, então, neste início, estou procurando manter o que foi bem feito. Cheguei em um time equilibrado e, por isso, vencedor".

Dá para falar algo do Sesi, seu primeiro adversário?
"Pude analisar à minha maneira, mas já sabia que o Sesi vem para a Superliga com um time forte e experiente. Da mesma forma que tive como estudar o time deles, o Giovanni (Gávio, técnico) fez também com o Montes Claros".

Dos sete primeiros jogos do Funadem, seis serão em casa...
"Pois é... A meta é ganhar todos, mas não vai ser nada fácil. A maioria dos times que vamos jogar contra são difíceis de jogar em qualquer lugar; seja aqui ou na casa deles. O certo é que, se ganharmos todos, vão abrir vantagem e isso é muito importante porque no outro turno, a gente vai ter que fazer todos esses jogos como visitantes"

E os quatro reforços já podem ser aproveitados?
"São jogadores que não tiveram a mesma preparação dos demais para a Superliga. Por isso, fazem um trabalho diferenciado, principalmente na parte física. Mas como temos um grupo competitivo, por enquanto, não há esta necessidade imediata".

E a ansiedade para a estreia?

"Isso é inevitável, mas sei como compensar: a torcida, em um ginásio cheio".
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: