A campanha dos 80% na análise da torcida


O Montes Claros/Funadem venceu quatro dos cinco jogos na Superliga Nacional, sendo os últimos três em casa. Detém todos os recordes de público da competição, Juntos, somam 19,1 mil pagantes, números de impressionam até mesmo a cúpula da CBV, segundo revelou uma fonte. A VENETA foi conversar com a torcida ao final da vitória de três a zero sobre o Up Time/Cuiabá para uma breve análise sobre esse início de competição, marcado pelos 80% de aproveitamento.

A cabeleireira Anne Caroline foi ao ginásio com o filho Matheus, de apenas dois anos. O menino não se importou nem um pouco com o barulho da torcida e ficou mais entusiasmado com a mascote que desfilava pela quadra do que com o jogo. A mãe, pelo contrário, vibrava a cada ponto e fez um confissão quando indagada pela reportagem do JN: "entende muito pouco de vôlei".

Aliás, segundo Ane, assistir às partidas desse esporte nunca foi hábito até então. "Na cidade da gente é bem diferente do que ver apenas pela televisão", depôs, ao considerar o vôlei viciante: "quando a gente começa a vir, não quer mais parar e até fica pensando quando vai ser o próximo jogo".

Palmeirense, o professor Rafael Rocha sempre foi desportista, mas sem muita atenção com o vôlei. Passou a freqüentar o ginásio pela motivação de ter um time em sua cidade. "Acho importante participar disso tudo", resumiu, destacando o levantador Rodriguinho como jogador-chave nessa boa campanha da Superliga.

O entrosamento é a arma que a estudante de Agronomia, Nicoleta Estefânia, acredita que o Montes Claros/Funadem tem para justificar a sequência de quatro vitórias na competição. Fã confessa do esporte, esperava por uma oportunidade para ver jogos de alto rendimento ao vivo e a cores. "Já acompanhava o vôlei", assumiu a universitária, que elege o ponteiro Diogo e o oposto Lorena como os craques do time. Cita, ainda, o Campeonato Mineiro e o Torneio Desafio Globominas, os dois primeiros títulos do Montes Claros, como grandes motivos para o time ser respeitado pelos adversários da Superliga.

Também universitária, mas na área de Psicologia, Ávila Soares divide o mérito da boa campanha na Superliga com a força da torcida, afinal, três das quatro vitórias foram em casa. "O torcedor apóia do início ao fim; ajuda demais e isso passa a ser uma preocupação a mais para os adversários", analisou a jovem. Na sua opinião, Piá é o melhor jogador do time, mesmo sendo opção de banco. "É muito emocionante ver a nossa cidade sendo projetada assim".
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: