De tudo um pouco: o pout-pourri das colunas da semana

BOA PERSPECTIVA

RESIDENTES NOS Estados Unidos, os irmãos Guilherme e João Villarinho são os sócios da Tetra Brazil, empresa de gestão esportiva que há 10 anos trabalha na formação de técnicos e jogadores. E o que era bom deve melhorar com sociedade firmada com a inglesa Challenge Sports, desta mesma área e que tem nada menos do que 17 núcleos de escolinhas nos EUA.

O BOM RELACIONAMENTO da Tetra garante aos seus parceiros intercâmbios internacionais, a criação de escolinhas nos principais estados norte-americanos – treinadas por brasileiros - e o acesso às universidades dos EUA e aos clubes de lá e aos daqui, como Botafogo, Flamengo, Brasilis e CFZ, além do Cruzeiro em Minas.

DESDE ONTEM, ciceroneados pelo técnico José Queiroz, o Nego, estão na cidade para cumprir uma agenda de visitas a clubes, estádios e faculdades no intuito de conhecer a estrutura física que a cidade oferece e, quem, sabe estabelecer parcerias – preto no branco.

MAS COMO este tipo de recurso em Montes Claros ainda é limitado, o mais provável, neste primeiro momento, será de acertar algo para a formação de atletas e profissionais, tanto no Brasil como nos Estados Unidos.

UM DOS ATRATIVOS está no público dos cursos em áreas ligadas ao futebol: educação física, fisioterapia e medicina. Tanto professores como alunos poderiam buscar aprimorar a formação na terra dos ianques.

E NO CAMPO, a chance dos jogadores locais de buscarem uma oportunidade nos Estados Unidos. Há um exemplo local que mostra essa realidade: o zagueiro João Luís, do Cassimiro, foi para a América pela própria Tetra Brazil e hoje está na Bethel University, como jogador do campeonato universitário e bolsista (80% de desconto).

NO CASO específico do Funorte, único da cidade em competições federadas, visitado ontem e que já tem seu projeto da bola há três anos, o clube receberia atletas do exterior para aprenderem técnicas do futebol brasileiro. Ao invés de só um trio, como aconteceu neste semestre, viriam de dez a doze garotos, com direito a uma ajuda de custo para o clube, de cada atleta, por um período de seis meses.

DIRETO DA PONTE

AOS 20 ANOS e com fama de artilheiro quando resolve ir para a área adversária, o zagueiro Guilherme é um dos jovens jogadores de Montes Claros que teve uma temporada de sucesso. Titular na Ponte Preta, em sua posição e até no meio e na lateral-esquerda, foi campeão do interior no primeiro semestre.

PARA COMEMORAR a boa temporada, o seu pai Sônio, organiza para o dia 13 que vem, lá no Centro Esportivo Gol de Ouro, do bairro São Luís, uma partida entre os Amigos do Guilherme contra... Os Amigos do Guilherme! A idéia é reunir aqueles que foram seu contemporâneos no futebol de base ainda na cidade: atletas, técnicos e dirigentes. O time da imprensa também está convidada.

“FARMA” COPA

A IDEIA veio primeiro com os frentistas e ganhou adeptos em outros segmentos, como nos balcões de remédios. Assim, o time da Drogaria Santo Expedito ficou com o título da II Copa Interfarmácias de Montes Claros. A final, assim como todo o torneio, aconteceu no Flamoc Center, e teve empate no tempo normal contra a Farmácia Real. No pênaltis, o padroeiro Expedito ajudou: vitória por três a dois.

SEIS TIMES participaram da Copa: Drogarias Santo Expedito, Brasil, Unifarma e Minas Brasil, Drogaclara, Farmácia Real e um combinado com os representantes laboratórios e vendedores de medicamentos.

NOSSOS “CLÁSSICOS”

OS DESAFIOS que os peladeiros de Montes Claros realizam a cada final de ano já estão sendo confirmados, como o "Atlético x Cruzeiro", na Unimontes e na manga João Botelho, e o "Solteiros x Casados" do Alto São João. Nesse último, o folclórico Vicente Catanduva já disse que o time dos solteiros está cada dia mais reforçado por causa das separações. "O povo não consegue ficar casado", brinca.

A CARTA CERTA

ALÉM DA PROJEÇÃO nacional, a cidade colheu outros bons frutos depois do desafio internacional entre Brasil e Hungria. No lugar certo e na hora certa, os coordenadores da Copa InterTV convenceram o comando dos Correios a patrocinar sua fase final, que vai reunir os campeões de cada uma das treze sedes. O acerto foi rápido, mas forçou o adiamento dos jogos até a assinatura dos papéis. Outra coisa: antes deste acordo, de valores não revelados, a realização dos jogos no Poliesportivo era uma incógnita; agora, com o aval do ministério que comanda o serviço postal, uma certeza.

VEZ DAS MOTOS

A MOTIVAÇÃO por eventos de grandes portes e a disposição do município de abraçar a causa, como aconteceu com o vôlei e o futsal com os jogos de suas seleções nacionais, chegou ao motocross de Montes Claros.

A TURMA DAS duas rodas da cidade e região sonha, no ano que vem, trazer para cá uma etapa do Brasileiro. O primeiro contato com o pessoal da Confederação Brasileira já foi feito sobre custos e datas. Nos próximos dias, oficializam a proposta à Prefeitura.

FALA DOUTOR

SECRETÁRIO-ADJUNTO de Esportes e Lazer de Montes Claros, Jaime Tolentino Neto teve, na quarta, na cidade de Vila Real, em Portugal, sua tese aprovada no doutorado em Educação Física da Universidade Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD). O agora doutor Jaiminho fez sua tese com base em desempenho motor.

ELOGIOS AO TALMO

JÁ HABITUADO com a cidade com pouco mais de quatro meses de existência do time de vôlei, o ponta Ezinho nos comentou sobre a chegada de Talmo de Oliveira. Enquanto curtia a folga semanal no último domingo, lá pelas bandas do novo shopping, fez questão de elogiar o método de trabalho do novo técnico, com quem trabalha pela primeira vez. "Estou gostando muito. Ele tem uma linguagem mais de jogador; e sabe ouvir", resumiu.

CVC FALHA

A BOMBA DA semana para o time de vôlei do Montes Claros/Funadem é a saída da CVC do seu rol de patrocinadores, que bancaria todas as 20 passagens de cada viagem durante a Superliga. A Confederação Brasileira encontrou um paliativo e vai mexer no próprio bolso para compensar os clubes e evitar debandadas. Assumiu as despesas de treze bilhetes. Para o restante não teve jeito: cada um vai ter que bancar a sua parte, o que onera o orçamento em mais de R$ 100 mil.

BARÇA COVER

DEPOIS DAS semifinais da quinta e da sexta-feira, as Faculdades Santo Agostinho encerram na tarde deste sábado, o VI Torneio Interno de Futsal, que neste ano faz uma homenagem ao jornalista Leonardo Maciel. Assim como outras promoções do gênero na cidade, um torneio muito bem organizado, mas no quesito originalidade para a escolha do nome dos times, não há concorrentes. No plágio ao grande clube espanhol surgiu o "Bar 100 Lona", Alma de Gato, Xurupita (do Zé Carioca?) e até nome de colunista brega: Karoba.

BALANÇO NO SITE

AINDA SEM posição a qualquer candidatura na eleição de dezembro próximo, o atual comando da liga de futebol de Montes Claros tratou foi de dar início ao balanço desta gestão mesmo antes de Diu Andrade entregar o cargo. No site da entidade, na forma de releases, o balanço de atividades dos últimos quatro anos, como informatização da entidade, a criação de competições, a regularidade do calendário... www.ligamontesclarense.com.br

OPEN DO SQUASH

MONTES CLAROS recebe o II Open de Squash, a partir desta sexta-feira, na academia MC Squash - Rua Lírio Brant, Melo. A previsão é de contar com até 60 competidores, incluindo a atual campeã Sub-13, Renata Furletti, de BH. Se quem acha que a cidade não tem gabarito para uma competição estadual, basta conhecer o prata da casa juvenil Gabriel Lana, que tem no currículo títulos em Minas e do Nacional.

OLHO CLÍNICO

MESMO PATROCINADOR anunciado pelo Cruzeiro e Atlético para a próxima temporada, o banco de crédito BMG tem o Funorte em seu plano de trabalho em 2010. Aliás, foi até a diretoria da empresa quem procurou o Tricolor de Montes Claros para isso.
COMO A VENETA divulgou logo após a eliminação na Taça Minas Gerais – postagem do dia 27 de outubro -, o Funorte estaria acertando com a financeira seu primeiro patrocínio master externo. Até então, só havia usado as marcas das empresas da Soebras, rede que mantém a faculdade que dá nome ao clube. E sem cotas, já que é a própria instituição que o mantém.
POR QUE O interesse no Norte de Minas? Basta a gente ver as propagandas dos bancos de empréstimo dos horários nobres dos telejornais por aqui para perceber que este tipo de negócio virou uma febre em Montes Claros. E é este mercado que o BMG quer tomar da concorrência pelas vias do futebol.

VENCE A MODÉSTIA

O POUCO conhecido São Raimundo, da cidade de Santarém/PA e que tem a mascote Pantera, levou o título da Série D, desbancando na final o Macaé Esporte, time da terra do amigo Walter Bonifácio, no litoral do Rio de Janeiro.
O QUE MAIS surpreende é a modéstia do clube, que chegou à conquista da taça com uma folha salarial de R$ 70 mil/mês, menor que a de muitos times da segunda divisão de Minas – inclusive o Funorte.
PODE SE dizer que foi a vitória do ferro sobre o ouro, afinal a cidade do Macaé recebe royalties do petróleo e está finalizando um estádio de R$ 20 milhões. Ah sim: a prefeitura é a principal patrocinadora do clube.

BRABO

BRINCADEIRAS como os apelidos de “baianos cansados” deixam nítida a influência do Nordeste em Montes Claros e no Norte de Minas e, por isso, claro que vale um comentário sobre o futebol de nossos vizinhos.
SALVO O exemplo do Ceará, que volta à Elite do Brasil depois de 16 anos, numa festa que literalmente parou Fortaleza no último sábado (ainda mais que seu rival caiu para Terceira Divisão do ano que vem), o futebol do Nordeste vive um 2009 absolutamente negro.
OUTRO MOTIVO de orgulho? Quem sabe com o ASA alagoano e o Icasa, de Juazeiro do Norte/CE, que subiram junto com o América da Série C para a B. Mas vale lembrar que a tabela da Terceirona é dirigida por regiões – para reduzir custos de viagens - e certamente um (ou dois) nordestinos chegariam à reta final.
VEJAMOS OS DEMAIS: O Sport já caiu, enquanto o Náutico apenas agoniza já ciente da inevitável queda da Elite. O Vitória cumpre a sina de coadjuvante.
NA ROTA Segundona/2009-Terceirona/2010, além do tricolor Fortaleza, o Campinense sequer esquentou seu lugar e cai de volta exatamente um ano depois de ter subido. Há, ainda, entre os rebaixados o vizinho natalino ABC. O América de Natal entra na última rodada com este mesmo risco. Hora dos patuás?
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

1 comentários:

Boni disse...

Caro Christiano, bakana ver como vc vem tratando a notícia... acompanho seu trabalho pela news que recebo, via e-mail. Parabéns...caso tenha interesse você pode, vez ou outra, ver o que acontece na terra do petróleo, através do meu portal www.clickmacae.com.br .... grande abraço e fique com Deus..... Boni