Ingresso, Franck Caldeira, Bonga e os aviões para o vôlei

Na teoria, o Funorte vai disputar a Taça Minas Gerais com reais chances de título. Afinal, cinco dos seus nove adversários começarão a disputa em meados de agosto com times “B”. América, Uberaba, Ituiutaba, Uberlândia e Tupi dividirão as atenções com os Brasileiros das Séries C e D.

Na prática?

No entanto, a prática do clube não tem sido tão otimista, mesmo com as goleadas nos dois primeiros amistosos, contra o Pirapora EC (6x1) - foto acima - e o combinado de Claro dos poções (4x0). No discurso dos diretores, diante da restrição orçamentária, o Formigão vai apostar na base jovem que foi mantida a partir do quarto lugar no Módulo II e nas medianas contratações, sem muito alarde ou grande concorrência dos outros clubes do interior. (Foto: Wilson Xu Medeiros)

Sem patrocinador

É compreensível que o clube queira frear os gastos, até porque o time não tem um grande patrocinador que não seja a Faculdade mantenedora que lhe batizou. A prefeitura ainda não se pronunciou sobre uma provável ajuda de R$ 20 mil/mês, que inclusive já foi pedida pelo Funorte, mesmo que informalmente. Então, com a modéstia no discurso e no campo, seria interessante, então, apostar no apoio maciço da torcida. E isso, viria, na base do toma lá dá cá. Ou seja: ingressos mais baratos.

Mais barato? O regulamento permite

No item 16, artigo 30, o regulamento da própria Taça Minas Gerais estabelece R$ 10,00 como preço único dos ingressos. Mas em parágrafo único logo em seguida, dá ao clube mandante a oportunidade de redução do valor e comunicação à FMF com o mínimo de antecedência de 96 horas antes de cada partida como mandante.

Resistência

Com base nele, naquela tradicional prosa à beira do campo, durante o amistoso no qual o Funorte venceu o Pirapora, procurei saber da diretoria se essa possibilidade de redução seria a saída para que o time compensasse sua limitação, proporcionando casa cheia para todos os quatro jogos em Montes Claros, na primeira fase. No primeiro momento, acham exagero porque a bilheteria é o que paga as despesas básicas com a arbitragem.

Nota nove, Fariña


Na tradicional visita ao JN ao final de cada prova, Juan Fariña pediu-nos para avaliar, numa escala de 0 a 10, como foi a organização do IV Grande Prêmio Cidade de Montes Claros de Ciclismo, realizado domingo. Dividi a responsabilidade com os depoimentos que ouvi durante e depois da corrida, vencida pelo candango Rodrigo “Morcegão” de Melo, na elite. Pela premiação - superior a R$ 18 mil -, suporte logístico como segurança, atendimento médico, socorro, frutas, água e suplementos, conceito máximo. Mas a minha nota final foi 9, já que muita gente sem muito a ver com a organização da prova, insistia em atravessar a pista, aumentando o risco de atropelamentos. Houve registro de uma pessoa desmaiada e que foi acudida pelos Bombeiros.



Bolo do Franck, não em Foz do Iguaçu

O mineiro Lourival do Nascimento, de Ponte Nova, venceu a III Meia Maratona alusiva aos 152 anos de Montes Claros na categoria principal. Além da taça, levou para casa R$ 3,8 mil. À primeira vista, poderia ser considerado como zebra, já que os megacampeões Franck Caldeira e João da Bota tiveram seus nomes ventilados até a véspera como competidores por aqui. Mas – entretanto, porém, todavia, contudo –, atraídos por maiores dividendos, João e Caldeira foram para outro canto do País, sem maiores satisfações ao Norte de Minas. Disputaram nesse mesmo final de semana a Meia Maratona das Cataratas, em Foz do Iguaçu/PR. Pelo menos lá, justificaram o favoritismo com os primeiro e segundo lugares, respectivamente. João faturou, também, R$ 15 mil como campeão, enquanto Franck, de gorrinho, sem a tradicional cabeleira, e ainda luvas, levou R$ 10 mil. (Foto: Divulgação)

Mineiro Júnior sine die

A reunião aconteceria nessa terça-feira, mas a Federação Mineira de Futebol adiou, de novo - e desta feita sine die -, a realização do congresso técnico que vai definir os três grupos da segunda fase do Campeonato Mineiro Júnior, com seis clubes em cada uma. Pela tradição, Cruzeiro, Atlético e América serão cabeças-de-chave. Por causa do terceiro lugar do ano passado, o Funorte vai entrar direto nesta fase.

Dia do Bombeiro - atleta

Uma programação esportiva, com torneios de peteca, futsal, natação e futebol soçaite, no Max Min Clube, foi a forma encontrada pelos Bombeiros de Montes Claros para comemorar o Dia Nacional da Profissão (2 de julho). As equipes foram divididas de acordo com os respectivos setores da corporação, com direito à solenidade de entrega da premiação, no auditório do Colégio Tiradentes, nesse dia primeiro.

Estudos para a Copa 2014



O Grupo de Estudos sobre Futebol e Torcidas da UFMG (Gefut) esteve em Montes Claros na última semana, dentro do Fórum Permanente de Educação Física – atividade curricular desse curso na Unimontes. Carioca radicado em Belo Horizonte, o professor – e vascaíno – Sílvio Ricardo da Silva falou do trabalho do Gefut, que consiste em um verdadeiro raio-x sobre os clubes, torcedores e demais segmentos de Minas envolvidos com o esporte mais popular do mundo. (Foto: Veneta)
O trabalho não é apenas acadêmico. Para se ter uma idéia da capacidade de produção do Grupo, grande parte da produção científica que está em andamento vai abastecer os governos estadual e federal nas ações públicas para a realização da Copa do Mundo de 2014. O professor Georgino Neto, o Gino, representa Montes Claros nesse grupo.

Engana duas vezes

De triste lembrança para o torcedor do Funorte, já que veio a Montes Claros literalmente para passear, o atacante Valdiney ganhou status de ídolo nos últimos dias, como um dos jogadores do Atlético no Campeonato Brasileiro de Showbol. A competição que reúne os ex-jogadores de cada um dos grandes clubes do País, é transmitida pelo canal a cabo da TV Globo. Inclusive lá, só fez número.
Depois de dois meses só de treinos, sem ao menos reduzir uma grama da silhueta, Valdiney estava no banco e foi a única opção para a vaga de Rogelio Ávila no jogo contra o Araxá, vencido pelo visitante por três a um. Ainda sim foi substituído, sentindo a virilha. No dia seguinte, foi dispensado.

Thiago Pereira: tietagem e 3 mil metros



O supermedalhista Thiago Pereira foi capítulo à parte na programação esportiva dos 152 anos de Montes Claros. No lançamento do projeto de natação do MCTC para crianças carentes de escolas públicas, em parceria de meio milhão de reais com os Correios, teve a paciência de Jô para tantos retratos e autógrafos. Teve disposição até para uma exibição com os futuros alunos do projeto.
Ao contrário dos outros turistas, logo quando chegou ao aeroporto da cidade, ainda manhã, não quis ir para o Mercado Central comprar e degustar queijos, cachaças e a famosa carne de sol. Nem mesmo o tédio do quarto de hotel. Foi para a piscina do MCTC e fez um "pequeno treino" para o Mundial de Roma como ele mesmo disse nadando três mil metros. (Foto: Fábio Marçal)




O MEMORIAL do esporte e da educação física, que foi exposto no Centro Cultural, semana passada, fez uma justa homenagem ao ex-atleta, técnico e professor João Bispo, o Bonga. Em depoimento gravado em vídeo, contou a história de como chegou ao Colégio Marista São José. (Foto: Veneta)

EM 1969
, após um jogo do seu Cassimiro de Abreu contra os alunos maristas, Bonga foi convidado pelo diretor para assumir as aulas de educação física do educandário. No primeiro momento, recusou, achando-se incapacitado porque estava acostumado a não mais do que 30 comandados. Ali, seriam centenas deles.

A INSISTÊNCIA
do diretor foi tamanha que ele aceitou, na condição de que, ao final daquele ano, estaria em Belo Horizonte e outros centros buscando cursos técnicos e outros tipos de aprimoramento.

JÁ SE VÃO
quarenta anos de trabalho no São José.

A TV GERAES
está finalizando os ajustes de grade e equipe para lançar seu novo formato esportivo. O programa Todo Esporte vai ao ar de segunda à sexta-feira, ao meio-dia e meia, com ênfase maior às competições locais.

EM PIRAPORA
, a TV Rio, também afiliada à Rede Minas, já conta com o TV Rio Esportes, bem voltado ao que acontece na cidade e cercanias.

GOL, TRIP, AZUL ou qualquer outra companhia de aviação pode crescer o olho no mercado de Montes Claros. Com o advento do time de vôlei na Superliga Nacional, a partir de novembro, serão pelo menos duas viagens da delegação, a cada semana. A CVC, patrocinadora oficial nesse sentido, garante a cada clube 25 passagens por rodada. Contando com os visitantes, somente pelo vôlei serão 50 lugares em cada voo, ainda esquecendo de árbitros e imprensa especializada. Ou seja, vai faltar avião sim.

Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: