Efeitos da Copa em MOC, Pira fora, solidariedade Hilton...

Pelé e Teixeira
O anúncio do nome de Belo Horizonte entre as cidades da Copa do Mundo no Brasil, em 2014, era questão apenas de formalidade na festa da paradisíaca Nassau, nas Bahamas. Afinal, trata-se da terceira maior cidade brasileira e, não apenas isso: é referência cultural para o mundo; capital da terra do Pelé e do próprio Ricardo Teixeira; essas coisas... Como tem pelo menos 25% de descendentes diretos ou indiretos de italianos, é bem provável que a Azzura fique por Minas.

Carona com BH
De carona, as cidades nas cercanias de BH já trabalham para que o mundial respingue em suas plagas, com investimentos em hotéis, CTs ou mesmo nos passeios turísticos. Por enquanto, nem ao menos com um discurso de cordialidade ao prefeito de Beagá, Márcio Lacerda, Montes Claros se manifestou. Mas sei que o plano da maior cidade do Norte de Minas está nos bastidores, mas para que algo seja feito antes da copa; bem antes, diga-se de passagem.

Olho nos recursos
Como o Mineirão será fechado por pelo menos dois anos (2010-2012) para reforma completa e ampliação, os times de BH vão precisar de outros estádios. A meta montes-clarense é convencer o governo de Minas a investir bem em nossa cidade, como já fará em Sete Lagoas, que receberá pelo menos R$ 10 milhões para incrementar a Arena do Jacaré - como disse de viva-voz o governador Aécio Neves. Condicionando o campo do Democrata às mínimas exigências da CBF e da Fifa, a cidade setelagoana receberia jogos do Brasileiro, Libertadores e Sul-americana, dividindo-os com o Independência, prestes a virar um canteiro de obras. Ou seja, o estádio de Montes Claros, vislumbrado para o campo da Unimontes, seria o alvo do município para o governo mineiro injetar milhões de reais.

Caiu antes de levantar
Na primeira lista, parecia tudo ok; mas na segunda, nada... O Pirapora está fora do Campeonato Mineiro da Segunda Divisão. O clube, que seria o segundo do Norte de Minas no profissionalismo em 2009, não aparece na lista divulgada nessa segunda-feira, com os dez nomes definitivos que entrarão na disputa a partir de agosto. A FMF, juntamente com o Ministério Público, bateu o pé ao exigir pelo menos três laudos técnicos dos estádios de cada equipe, o que, certamente, o acanhado campo do Comercial não parece ter atendido os Bombeiros, Polícia Militar e Vigilância Sanitária em suas vistorias.


Solidariedade - Angústia sem fim para a família do engenheiro Hilton Jadir (acima), que estava o voo 447, da Air France, desaparecido nesse domingo, sobre o Oceano Atlântico. Cruzeirense declarado, mesmo com duas décadas de residência no Rio de Janeiro, Hilton é de Montes Claros e irmão dos amigos e atletas Gildásio de Souza, o Denda, e Aroldo Silveira, o Lola. Viajava a serviço da Petrobras, da qual é engenheiro elétrico. À família, a nossa solidariedade. (Foto: Álbum de Família)

Febre sintética

Futebol soçaite em quadra fechada, até então comum nas capitais, virou febre em Montes Claros. A cidade já conta com quatro desses espaços, dotados de iluminação de nível profissional e grama sintética, o que economiza nos custos com a manutenção. O espaço mais novo do gênero funciona no Jardim São Luís, sob a administração de Geraldo Brant, diretor do Ateneu de longas datas. A quadra Gol de Ouro é a mais nova nessa febre, com turma de peladeiros até por volta da meia-noite.


Olho no gato e no peixe - Se Maomé não vai à montanha, a montanha vai a Maomé. Para atender aquele pessoal que tem pressa a semana inteira e só tem tempo livre aos finais de semana, a Palimontes providenciou sua loja esportiva itinerante, com visitas aos clubes recreativos da cidade, em especial aos domingos. Com direito a tênis, malhas, camisas de clubes e acessórios, a ideia surgiu no Max Min, no dia da inauguração do estádio "Batistão" - foto acima - e foi bem aceita. (foto: http://www.maxmin.com.br/)

Taça enfraquecida
Por causa dos mais de R$ 2 milhões em dívidas, o que culminou com a renúncia do ex-zagueiro Luizinho de sua presidência, o Villa Nova desistiu da disputa da Taça Minas Gerais. Para o Funorte, a notícia deve ser encarada como uma faca de dois gumes, afinal, o Leão seria um adversário tradicional em sua caminhada pelo título e pela vaga automática da Copa do Brasil de 2010. No entanto, a saída do time de Nova Lima esvazia ainda mais a competição, que não desperta interesse dos clubes tradicionais e corre o risco de ser realizada com apenas quatro participantes. Quem quer ganhar não pode escolher adversário.

Futsal com handebol
A parceria entre Funorte e Unimax para a disputa do Campeonato Mineiro de futsal de base, nas categorias Infantil e Juvenil, será estendida ao handebol. Conforme o acordo assinado oficialmente no dia 18, as equipes adulta e júnior do FEC também levarão o nome do educandário, que, por sua vez, assumiu a obrigação de todos os custos com viagens, hospedagens, taxas de inscrições e materiais esportivos. Nada barato, devemos ressaltar. Já no acordo entre o MCTC e o Biotécnico, o colégio vai assumir R$ 2 mil de custos, por mês, nas competições de futsal, também do Mineiro.

Mundo radical em MOC
Para por fim a uma das maiores carências dos atletas de Montes Claros, até junho será batido o martelo para a cessão de verba federal que visa a construção de uma praça da juventude radical na cidade. O local receberia todos os obstáculos possíveis e imagináveis para as manobras e competições oficiais de skate, patins, bikers e até mesmo escalada. O Ministério dos Esportes já acenou positivamente.

No início do ano, à frente apenas do Valério Doce, o Funorte foi o último time a iniciar a preparação do Módulo II Mineiro. A demora comprometeu seu planejamento, principalmente no que se refere às contratações. Deixou de buscar peças importantes e sofreu com os desfalques ao longo da competição.
Pois bem, se realmente visa disputar a Taça Minas Gerais é bom agilizar seu trabalho, se quiser atletas de qualidade. Os times que querem disputar a Segundona Mineira já saíram as compras.
O Mamoré, por exemplo, confirmado ontem pela FMF na Segunda Divisão, está montando uma verdadeira seleção do interior mineiro.
É bem verdade que, como há menos competições mineiras no segundo semestre, a oferta é bem maior que a procura e os salários teoricamente menores em relação ao primeiro semestre, mas quem vai à frente bebe água limpa.

“Nosso campeonato vai reunir tudo oque os times acham que têm direito”
Do presidente do Lagoa da Barra, Deusdeth Badaró, ao justificar que o torneio interno, que se encerra neste domingo, é um aperitivo para o campeonato interno, que começará em julho.
Jeibson Moura, diretor de futebol do Funorte, foi bem sucedido em Portugal, na defesa de sua tese de mestrado - "Aptidão Física relacionada à saúde em escolares brasileiros: análise mediante a bateria de testes motores Fitnessgram" -, na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), na cidade de Vila Real, semana passada. Aprovado, já desembarcou como mestre.
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: