Presa fácil no Vale


O Funorte foi presa fácil diante do Ipatinga. Acabou de perder para o líder, no Vale do Aço, por quatro a um, em jogo que encerrou o primeiro turno do Módulo II. Houve um princípio de reação, quando empatou no início do segundo tempo, com Felipe, mas algo efêmero, já que o Ipatinga fez o segundo gol um minuto depois.
O vexame poderia ser maior, se não fosse Everaldo, que defendeu o pênalti cobrado por Luís Fernando, no primeiro tempo.
A derrota aumenta a crise. O time perdeu mais uma posição (agora é 6º) e está a dez pontos da primeira colocação; nove da zona de classificação, já que a Caldense também venceu: 1x0 Formiga. No restante da rodada, vitória da URT sobre o Valério, por 1 a 0 e, ainda: Democrata 3x1 América, Araxá 2x1 Poços de Caldas, Amanhã tem Itaúna x Ideal. Luiz Eduardo parece balançar...
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

3 comentários:

Luiz Ribeiro disse...

Caro Cristiano,
Acho que vc esqueceu de um detalhe que contribuiu para o resultado: em grande parte do segundo tempo, o Funorte jogou com um menos, pois o zagueiro Bráulio se contundiu e o técnico já havia "queimado" as três substituições. Somente com o Formigão acontece uma coisa dessa.

Nairlan Clayton Barbosa disse...

Salsicha,
foi um jogo atípico uma vez que foi um time totalmente sem referência.
Fiquei triste por q achei q o resultado nao condizeu com o q poderia ter sido apresentado pelo Formigão.

Lincoln Veloso disse...

Christiano Jilvan

Parabéns! As questões devem ser levantadas. Em Montes Claros vou a todos os jogos. vejo os jogadores do meio de campo do Funorte com medo de jogar, como na gíria do futebol, "escondendo da bola". Também não sei se é coisa do treinador. A defesa bastante irregular e lenta, e em alguns lances, sem raça. Existe a reclamação de falta de jogadores neste setor. Onde está Anderson, zagueiro que veio da categoria de base, que andou em clubes do Estado de São Paulo, será que não seria a hora de testá-lo? No ataque, o Rogélio machucou e não teve substituto; o Picachu precisa alinhar-se com os objetivos da equipe, pois é muito individualista, deveria buscar fazer gols e só aparecer para a torcida, assim. Nos jogos que assisti em Montes Claros, fora o América e o Araxá, com proposta táticas definidas, não vi, ainda, nenhuma equipe de destaque, talvez no próximo domingo veja o Ipatinga e logo mais adiante a Caldense.
Temos que entender que enquanto não tivermos um Estádio, de fato, não conseguiremos formar uma equipe competitiva. Mas mesmo assim temos que parabenizar o Funorte, que mesmo com as adversidades, consegue proporcionar lazer e levar alegria e divertimento aos seus torcedores. Senhores Patrocinadores e Prefeitura: _ Montes Claros não pode perder a oportunidade de colocar seu o nome, em destaque, no cenário mineiro e quem sabe nacional.