Burrice I

Está difícil entender como a Primeira Divisão do Mineiro, que tem R$ 18 milhões da cota de TV, com cada time recebendo pelo menos R$ 300 mil, tenha um regulamento de tiro curto, com apenas 12 rodadas, classificando oito times para as quartas-de-final, enquanto o Módulo II vem sendo disputado em dois turnos de pontos corridos, valendo apenas duas vagas, com pelo menos 11 viagens para cada time durante quase três meses (às quartas e domingos). São só interioranos, que só conseguem montar seus times no dia do jogo, com patrocínios miúdos e de empresas caseiras. E ainda: sem a chance do “mata-mata” na segunda fase, que aparece na Primeira Divisão, para que o oitavo tenha motivação e não se sinta eliminado já na rodada nº 11. Erro dos clubes e da FMF, que parece impor essas coisas. Em Minas, está valendo a máxima de que pobre - no caso os pequenos - tem mesmo é que sofrer!
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: