A bronca da torcida

Nada a ver com o momento ruim do time na competição – talvez até seja uma ironia –, mas os próprios torcedores têm questionado os critérios adotados pelo Funorte em seus jogos realizados como mandante. A primeira bronca diz respeito ao horário escolhido (16 horas), sempre coincidindo com as transmissões da TV. Pedem que sejam remarcados para as 10 horas. É bom pensar no caso, já que o número de pagantes vem caindo vertiginosamente – dos 2,4 mil da estreia diante do Jacaré para menos de 700 do jogo contra o Itaúna.
A torcida reclama, ainda, do valor do preço do ingresso (R$ 10) e da cobrança de meia-entrada para menores de 12 anos, o que tem feito alguns pais desistirem dos jogos já na porta do estádio. Um torcedor ainda disse: "para um clube que ainda está com sua torcida em formação e ainda precisa se firmar no Campeonato, nada mais sensato do que cativar o torcedor e pelo menos permitir que as crianças possam ir ao campo sem pagar".
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: